quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Happy New Year!


A todas as minhas pessoas: vocês sabem que vos adoro, e que vos voto o melhor: um ano de amor e de saúde! O melhor da vida!

Acaba-se 2009...


... um ano difícil para mim, interiormente. Não é fácil explicar isto.

Essencialmente, aconteceram muitas coisas boas. Muito boas mesmo! A primeira, a mais importante e a mais feliz: casei em 2009. Fiz viagens maravilhosas, emagreci 5 kgs e engordei-os novamente (LOL), dancei muito, fiz uma sessão fotográfica inesquecível, a minha C. fez uma Melzinha que eu estou ansiosa por conhecer em 2010 (e foi seguida por outras amigas)... e muitas outras coisas, certamente, mas que agora não me ocorrem.

Talvez mais importantes do que as coisas boas que me aconteceram, são as más que NÃO aconteceram. Felizmente.

No entanto, 2009 foi um ano em que me senti, salvo nas situações que apontei acima e que me fizeram tão bem, quase sempre triste, perdida, angustiada, às vezes quase a enlouquecer. São estados mentais difíceis de explicar, e que eu tentei sempre anular, mas que - mau-grado a minha vontade de os fazer desaparecer - estiveram sempre comigo e que me "atormentaram" bastante.

A minha maior luta para 2010 é conseguir expulsá-los definitivamente da minha vida. E despentear-me valentemente! ;)

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

A minha mala - ou a casa do caracol


Parafraseando uma blogger mais famosa do que eu, "gaja que é gaja" gosta de trazer a casa às costas, como o caracol (ou não!). Eu, por acaso, gosto e trago. A minha mala, por norma, é enorme - como a YSL da Cameron nesta foto* - e está sempre cheia de tralha. Exemplos: carteira/porta-moedas, chaves de casa, chaves do carro, chaves do escritório, agenda (neste momento, a de 2009 e a de 2010), bloco de notas, uma esferográfica, pastilhas elásticas, lenços de papel, pensos rápidos (e outras espécies, consoante a altura do mês), comprimidos para os vários achaques que possa ter, telemóveis (infelizmente, dois), baton de cieiro, um tercinho que a minha avó me deu, desinfectante para as mãos, toalhitas, creme hidratante para as mãos, livro de cheques, um espelhinho com mini-escova incorporada, duas pen drives, breath mints, chaves de casa dos pais, elásticos para o cabelo, uma peça de fruta ou um pacotinho de bolachitas, uma lima... E neste momento acho que é tudo.
Mas ando sempre a pensar que devia trazer alguma maquilhagem e uma amostra de perfume comigo all the time , por isso ainda vou desencantar uma bolsinha para acrescentar essas coisas à minha bolsa.
Ainda assim, acho que consigo não ser um Sport Billy. E vocês?

* Aproveito para gabar o look da Cameronzinha nesta imagem, é mesmo a minha cara. O saco é lindo e a boininha... um apetite!

Ontem


Estava mesmo de mau humor! Nota-se no meu último post, credo, cruzes, abrenúncio, sai pra lá coisa ruim. Mas enfim, nem todos os dias são dias de festa. E às vezes é mesmo a nossa própria experiência que nos faz ser mais - ou menos - radicais. *smile*

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Os belos dos presentes


Estive para aqui a pensar se deveria ou não escrever sobre este assunto, mas decidi expressar o que me vai na cabeça. Afinal, o blog é para isso mesmo.

Hoje tenho andado por essa blogosfera fora, e tenho visto inúmeros posts acerca dos presentes recebidos pelo Natal. Quase sem excepção, recebem-se vários - não um, mas vários - presentes vindos do(s) mesmo(s) ofertante(s), resultando numa contabilização bem grandota de presentes para uma mesma pessoa.

Aqui, atalho já - antes que me entendam mal - dizendo que cada qual sabe da sua disponibilidade, e no dinheiro de cada um manda o dono e ninguém mais tem nada a ver com isso. Certo e inegável. Mas estas constatações que tive hoje suscitam-me pensamentos, que se há-de fazer?! Assim, será que sou eu a única alien que acha mais do que suficiente dar e receber um presente por pessoa?... Pelo que estou a ver, este meu ponto de vista é a excepção, não a regra como eu achava.

Aqui, atalho novamente para dizer que não me move qualquer sentimento menos puro de inveja para com quem recebe muitos e muitos presentes. Eu própria claro que gosto muito de prendinhas, mas cheguei até a ter uma nano-mini-micro discussão com o meu mais-que-tudo, porque descobri que havia mais do que um embrulhinho para mim na árvore. Simplesmente acho que é mais do que suficiente receber um presente e dar um em troca. Para mais, nos tempos que correm. Para mais, quando não é preciso gastar-se muito dinheiro para fazer felizes as pessoas que amamos. Para mais, quando pessoalmente não dou qualquer importância ao valor financeiro do presente que recebo, pois privilegio a atenção e o carinho que estiveram por detrás da escolha, first and foremost.

Devo ainda explicar que eu própria recebi muitos presentes, tal como escrevi num post abaixo. Mas tenho uma família enorme, graças a Deus... Cá em casa, trocamos um presente por pessoa. Às vezes até nos agrupamos e oferecemos em conjunto. Não creio que sejamos nenhuns "agarrados" nem uns somíticos, até porque todos partilhamos uma filosofia de vida bem epicurista: passeamos, viajamos, comemos bem, desfrutamos da vida. Apenas não temos por hábito ceder muito ao espírito materialista que se apodera do mundo em geral nesta altura. E eu gosto que sejamos assim!

Outro exemplo que posso dar é o de uma amiga com quem falava hoje e que me disse que a mãe lhe deu imensos presentes que ela adorou. Conhecendo bem as pessoas em questão, sei que isso não significa esbanjamento, de todo, e que são presentes que vê de uma generosidade inesgotável. E na verdade, nada me diz que nos casos que eu li hoje, também não é assim!

De todo o modo, um dia, quando tiver filhos, certamente terei mais dificuldade em conter a vontade de lhes dar tudo o que estiver ao meu alcance. Mas tenho a convicção de que irei fazer como fizeram comigo: dar-lhes UM presente, aquele especial, e deliciar-me a vê-los felizes. Até porque, ao que vejo, as crianças cada vez dão menos valor às coisas que têm. Sim, fiquei chocada ao ler num dos blogues que sigo atentamente que uma criança recebeu dezenas de presentes (uns 60?!?!?) e ainda ficou meio de trombas. É de bradar aos céus.

Por último, obviamente que não pretendo atacar nem ofender quem quer que seja. Como eu disse no início, no dinheiro de cada um manda o próprio, e felizardos daqueles que recebem muitas coisas e o valorizam! O que se quer é que andemos todos felizes e contentes. Não podemos é acreditar todos nas mesmas coisas...

Hoje...


... não me apetece nada trabalhar!

sábado, 26 de dezembro de 2009

E os saldos?!


Venham eles! Não é que haja muita disponibilidade (se é que me faço entender), mas por norma faço grandes compras nesta época! É só estar atenta às oportunidades e ter olho para a coisa. Estou ansiosa por ver se este ano consigo algum achado!

Sex and the City - the movie


Ontem consegui aguentar-me ao horário tardio e (re)vi este filme, que passou na TVI. Sex and the City sempre foi uma das minhas séries de eleição - mais uma que aqui revelo, depois da Anatomia de Grey. Adoro as peripécias delas, os sapatos (*sigh*) e os pensamentos da Carrie, o pragmatismo e o humor da Miranda, o romantismo e a corkiness da Charlotte, a frontalidade e a maluquice da Samantha. Adoro ver Nova Iorque sob tantos prismas (e fantasiar que também vivo lá), adoro as aventuras e todos os eventos chiques, as roupas de sonho... Mas acima de tudo, adoro a amizade que existe entre estas quatro mulheres. Adoro! E penso sempre nas minhas próprias eleitas e em como - com as devidas e necessárias adaptações - também seremos assim aos 40, aos 50...
Bom, mas divagações à parte, diverti-me muuuuiiiiito a rever este filme e hoje só penso: "QUERO VER A SEQUELA!!!"! Venha daí 2010!

Que tal as vossas?


As minhas Festas foram boas. Entre o quebrar de antigas tradições, o nascimento de novas, o comer coisas boas até quase rebentar (e a consciência gritar furiosamente), a presença dele e a falta de outras pessoas, o carinho da minha querida família e de todos aqueles que fizeram parte, o saldo foi positivo!
Presentes? Muitos e giros. Muitos trapinhos lindos novos, livros que adorei e vou devorar, make-up, chocolate - sempre... Se não existissem não me importava, mas não há como negar que sabe bem receber prendinhas! E presentear, tanto ou mais!
Agora, depois do fim de semana para descansar mais um bocadinho, volta-se ao trabalho durante 3 dias e depois reza-se para haver neve a colorir de branco o spot onde vamos passar para 2010...

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Natal Feliz


É o que desejo a todos!

Que todos tentemos ser melhores, fazer melhor e sentir melhor. Não só no Natal, mas sempre.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Um Natal...


...solidário, à moda dos anos 80.

P.S. E que engraçado que é (re)ver o cabelinho do Sting e do Bono, as maquilhagens dos senhores, o Phil Collins a dar-lhe forte na bateria... Velhos tempos.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Então, para acalmar os ânimos...


...Silent Night.

É só a minha...


Ou a vossa cidade também parece um daqueles filmes catástrofe "o-mundo-vai-acabar-e-temos-todos-de-sair-da-cidade-JÁÁÁÁÁ"??
É que o trânsito, o movimento e a loucura das pessoas estão impossíveis de aturar.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Ídolos


Eu ainda não tinha dito nada sobre o "Ídolos", mas hoje não me contenho. Como é possível que, depois de uma actuação cheia de soul da parte desta menina, mas certamente nada mainstream, ela tenha ficado entre as menos votadas e em risco de ser mandada para casa?!
Quer-se dizer, eu sei como é possível: é que este concurso é, na verdade, um concurso de popularidade, no qual quem tem a família e os amigos a votarem como se não houvesse amanhã é quem ganha. Sempre foi assim. Nada mais injusto, na minha opinião.
Para mim, esta Diana tem qualquer coisa. Tem alma e faz-nos sentir o que lhe vai por dentro ao cantar. Gosto dela. Para além dela, as minhas favoritas são a Inês (porque tem um estilo adorável e mostra carradas de personalidade para a idade que tem) e a Carolina (porque, apesar de às vezes ser mais engraçadinha que engraçada, ainda assim consegue fazer-me rir e é uma miúda que thinks outside the box, nas músicas e na postura - o que muito aprecio).

Já estou com saudades


Eu adoro esta série. Andava toda contente com a season que estou a acompanhar, mas já há semanas que não vejo um episódio. Rais' parta os americanos, que interrompem as seasons a meio, quando estamos mesmo entusiasmadinhos com o enredo...
Além da Grey, que (ainda) vejo porque gosto que as personagens tenham alguma densidade, gosto de amores e desamores e gosto do McDreamy e do McSteamy (haha!) também acompanho outras séries. Aliás, sou grande, grande, fã de séries televisivas, sejam elas cómicas ou dramáticas. Aos poucos vou revelar aqui as minhas favoritas de sempre.

E para levantar o espírito...


... um bocadinho de swing natalício.

Entristece-me.


Hoje fiquei a saber que alguém que conheço relativamente bem se tentou suicidar. Não para chamar a atenção, visto que a pessoa em questão vive já há anos sob o jugo de uma depressão. Simplesmente atingiu um ponto tal de desespero que sucumbiu.
Eu não consigo entender o que pode ser tão grave para uma pessoa que a faça querer parar de viver, deixar de estar aqui. Atenção, não pretendo abordar este assunto de uma forma crítica ou moralizadora, ou whatever. Apenas reconheço que me falta capacidade de entendimento. E por um lado ainda bem - é sinal que não estive nunca perto desse nível de desolação.
Mas não consigo evitar questionar: será que há uma qualquer dor tão irreversível neste mundo que faz com que se queira mesmo partir desta vida? Ou será que são as sensibilidades humanas que variam, as forças de cada um que são diferentes entre si?
Seja como for, entristece-me. Hoje fiquei com um peso no coração.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Songs I like #2

Le ciel dans une chambre, Carla Bruni.
Aliás, gosto de todo este álbum, mas esta ocupa um lugarzinho especial no meu coração.

Quinta-feira...

... é dia disto...

... e disto...

... mas hoje não há tempo.

Tudo o que eu quero no Natal...


... és tu!

P.S. LOL Não me refiro à Mariahzinha... Vocês perceberam!

Só eu é que não senti sismo nenhum?


Ferradinha no sono como estava, não é de admirar.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Faz de conta que ainda é terça-feira


Aqui fica a cançoneta feliz do dia!

If you liked it, then you should've put a ring on it


Isto provocou-me as maiores gargalhadas dos últimos tempos.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

domingo, 13 de dezembro de 2009

Este fim de semana foi assim


Não pode ser. Serei apenas gulosa ou serei na verdade descompensada? Será que a comida não está a ser, na realidade, uma forma de colmatar outras lacunas?

Whatever, a única coisa que sei é que estes abusos não me fazem bem. Nem à cabeça nem a mais nada. E só queria ter um botão de "on/off" quando ando assim. É que já lá vão muitos meses e 5 kgs de desequilíbrio.

Filmes da minha vida #1 - As Bonecas Russas


Um dos filmes da minha vida, sem a menor sombra de dúvida. Para além de ser uma comédia hilariante e inteligente, é - como mostra o cartaz - um mosaico de amizades, amores e perspectivas de vida. Como pessoas tão diferentes se encontram (em A Residência Espanhola), se tornam amigas, crescem, e neste As Bonecas Russas revelam a sua postura perante o amor.
O título do filme deriva de um monólogo de Xavier, a personagem principal, em que este compara a busca do ser humano pelo amor ao acto de abrirmos as bonequinhas russas (ou matrioshkas). Procuramos, procuramos, vamos abrindo uma após outra, até chegarmos ao coração, aquela pequenina e preciosa, o fim da procura. Eu adoro este excerto de uma reflexão do Xavier:

"J’ai repensé à toutes les filles que j’avais connu, avec qui j’avais couché ou même que j’avais seulement désiré. Je me suis dit qu’elles étaient comme des poupées russes. On passe sa vie entière à jouer à ce jeu. On est curieux de savoir qui sera la dernière, la toute petite qui était caché depuis le début. On ne peut pas l’attraper directement, on est obligé de suivre le cheminement. Faut les ouvrir l’une après l’autre en se demandant à chaque fois «est-ce que c’est elle la dernière?»"*

*"Pensei em todas as raparigas que conheci, com quem dormi ou até mesmo apenas desejei. Disse a mim próprio que elas são como bonecas russas. Passamos a vida inteira a jogar este jogo. Ficamos curiosos por saber quem será a última, aquela pequenina que esteve escondida desde o princípio. Não conseguimos chegar a ela directamente, somos obrigados a percorrer um certo caminho. É preciso abri-las, uma por uma, perguntando-nos a cada vez: «Será que é ela a última?»"

Nada de fazer beicinho...


... vem aí o Pai Natal!

P.S. É mesmo a única altura do ano em que eu consigo aturar Mariahs e outras artistas que tal. haha

sábado, 12 de dezembro de 2009

Continuando no espírito Natalício...


... e como está muiiiito frriiiiiooooo... let it snow!

P.S. Nota-se muito que sou completamente viciada nesta época do ano? Adoro tudo, as músicas, o frio, a boa disposição, e principalmente o renascimento do espírito de entre-ajuda que só lamento que não se prolongue pelo resto do ano.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

I'm a lucky girl



Ontem fizemos 6 meses de casadinhos. Como já é habitual (o que muito me irrita acerca de mim mesma), passou-me completamente ao lado a data. Mas quando cheguei a casa à noite, tinha uma rosa vermelha - my favorites! - em cima da almofada, e as palavras mais enternecedoras, só para mim. Não sou mesmo uma sortuda?

Love you, babe.

E daqui a pouco...


... já é Natal!

Não é riquinho quando ela diz "rhinoceruses" e "hippopotamuses"? Adoro!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Pergunta estúpida


Por acaso alguém sabe qual o programa que posso utilizar (uma coisinha fácil, please) para ocultar por exemplo um rosto numa foto? Duuhhhh.

Songs I like #1

Jeff Buckley, "Lover, You Should've Come Over".
Arrepia-me sempre, sempre. Um poeta em todas as fibras do seu ser, estrangulado por demasiadas emoções. Um génio que deixa saudade, levado cedo demais.

Best song ever.

Ai! *suspiro*



Às vezes é tão difícil fazer escolhas... Quer se trate de opções fundamentais para o desenrolar da nossa vida, quer sejam coisas do nosso dia-a-dia.

Eu até que sou uma pessoa decidida. Pelo menos, na minha vida já dei voltas de 180º e nunca me arrependi das opções que tomei. Também é certo que me aconselho muitas vezes antes de me decidir. A minha família e aquelas amigas do peito são as minhas grandes (e sábias) conselheiras.

Mas tudo isto a propósito de uma escolha que não traz consequências life-altering, mas que certamente me vai trazer muita alegria... Tenho de escolher de entre uma miríade de imagens lindas, lindas, aquelas que me enchem mais o olhito. É difícil!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Quero.


"Porque a minha vontade tem o tamanho de uma lei da terra. Porque a minha força determina a passagem do tempo. Eu quero. Eu sou capaz de lançar um grito para dentro de mim, que arranca árvores pelas raízes, que explode veias em todos os corpos, que trespassa o mundo. Eu sou capaz de correr através desse grito, à sua velocidade, contra tudo o que se lança para deter-me, contra tudo o que se levanta no meu caminho, contra mim próprio. Eu quero. Eu sou capaz de expulsar o sol da minha pele, de vencê-lo mais uma vez e sempre.

Porque a minha vontade me regenera, faz-me nascer, renascer. Porque a minha força é imortal."

José Luís Peixoto, de quem adoro este excerto de texto (e tantos outros).

Tudo está bem quando acaba bem


Ontem foi um dia muito complicado. Não fiz coisas que queria fazer, não estive com a minha amiga C. como queria, aconteceram montes de percalços e tive mais dissaborzitos do que seria desejável.

Mas o dia terminou na cidade retratada acima, mais especificamente aqui . E foi tão bom!

domingo, 6 de dezembro de 2009

New York, I love you



Hoje fomos ver este filme, depois de semanas de ansiedade e zero oportunidades.Tal como esperava, o filme é uma belíssima manta de retalhos, um patchwork de histórias de amor que se entrelaçam e interagem. O background musical funde-se na perfeição com as imagens, às vezes clássico, outras irreverente. Como a cidade. Revimo-nos em NY, apaixonados como as personagens do filme.

O meu segmento preferido foi este:

Adorei o trabalho da Cloris Leachman e do Eli Wallach. Faz-nos rir com os diálogos de dois velhotes de paciência limitada um para o outro após 63 anos de casamento, e chorar de comoção perante o carinho e cumplicidade que ainda partilham. Espero lá chegar, daqui a uns 40 ou 50 anitos...

Em suma: um filme belíssimo, íntimo, cru e enternecedor. Mais um a entrar para a fave list. O que me faz começar a pensar em criar aqui uma rubrica dos filmes da minha vida, porque sou apaixonada por cinema.

Onde é que estão...



Aqueles dias de Inverno (ok, eu sei que ainda não estamos no Inverno, mas quase) de um frio estaladiço, mas cheiinhos de sol? Gosto tanto desses dias...

Esta chuva e tempo cinzentão dão cabo de mim.

sábado, 5 de dezembro de 2009

E a culpada...



É esta macaquinha linda, que se acha uma espécie de batedora de baseball.

Cá está ela



(Com mil perdões pela pobre qualidade da foto)

Desde o passado dia 1 que ela habita a nossa casinha. É triste é que TODOS OS DIAS eu tenha que voltar a fazer o raio da árvore. Invariavelmente, quando chego a casa tenho as bolinhas todas espalhadas pelo chão.

Hummmmm



Hoje é assim que vai terminar o dia - no quentinho do sofá a deliciar-me com um dos meus vícios: sushiiiiiiii.

Não foi um dia fácil! Nem produtivo! É que ontem tive uma jantarada à antiga com amigas da faculdade. Comi tanto - a cozinheira era prendada - que dormi umas míseras 4h à conta da digestão difícil e das lindas horas a que me deitei...

Então o dia hoje foi lentooooo... Com más notícias de manhã - adiante... A fazer tudo bem devagarinho e a sentir-me cheia de soninho.

Mas vai acabar bem! E com uma bela noite de sono amanhã estou nova!

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

E lá ganhou a Whitney...


Apesar de eu achar que ela tem ali algumas falhas ao nível do estilo "modelesque", fico contente por terem dado a vitória a uma menina de tamanho real, com carninha em cima dos ossos. Quase nos faz pensar que nos podia acontecer a nós! (Yeah, right!)
E ela é muito bonita, na minha opinião.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

É impressão minha...



Ou estas raparigas do cycle 10 do America's Next Top Model são mesmo muito fraquinhas??

Vi um post sobre esta saga...


... aqui. Gosto muito deste blog, sigo-o atentamente, e a sua autora questionava os leitores sobre o porquê da euforia em torno da saga Twilight.

Ora, pela parte que me toca, sinto-me ser aos poucos conquistada pela história do Edward e da Bella. Inicialmente, não fazia qualquer intenção de ler os livros ou ver os filmes - achei que seria uma história concebida para adolescentes e muito fantasiosa, ao estilo Harry Potter, o que nunca me fascinou.

Mas depois vi o primeiro filme, Crepúsculo, e apesar de não ter ficado rendida, até gostei. O trabalho dos actores não é fenomenal, o filme em si não é nenhum espectáculo, mas a história tinha algo que me prendeu.

Há dias fui ver a segunda parte da saga ao cinema. E, apesar de sermos seguramente as pessoas mais velhas que se encontravam na sala, fiquei tão presa ao enredo como as adolescentes que soltavam gritinhos abafados e risos entusiasmados em cada volte-face. Agora apetece-me ler os livros - também influenciada pelas opiniões das amigas que os leram quase de um só fôlego. Talvez aproveite a promoção da FNAC... depois darei aqui o meu feedback quanto a essa aventura literária.

Hoje sinto-me um bocado cinzenta



Como o tempo que faz lá fora e como a roupa que vesti.

Aviso à navegação



Que por aí andar desprevenida em velocidade de cruzeiro. Aqui neste blog fala-se de tudo e de nada. Podem ser coisas fúteis ou essenciais, importantes ou não interessar ao Menino Jesus. O mais provável é que sejam coisas fúteis que não interessam nem ao bom do Menino Jesus. Mas para lidar com as desgraças do mundo e ter de levar com a conjuntura politico/economico/social do país, tenho as horas de trabalho. Falar só de assuntos eruditos e ter discussões filosóficas, nem sempre me apetece. O amorrrrr, as amizades, trapinhos, viagens, livros, filmes, televisão, make-up... Isso já me parece mais o sal da vida.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Preparar o regresso ao trabalho...

Com uma auto-manicure e duas camadas do Renda, da Risqué. Normalmente prefiro vernizes de cor, mas o Renda é o único que me seduz quando quero fazer um intervalo das unhas coloridas...

Mas pelo menos...

... sempre estou melhor que o M., que por algum motivo que me é completamente alheio, está lá dentro a ouvir em repeat o "Uprising". E a cantar a plenos pulmões.

O resultado de ter um gosto musical muito eclético...




É isto. Ultimamente ando a ouvir mais compulsivamente estas coisas.

O Jeff Buckley é um companheiro de sempre. Desde que o conheci que o amei instantaneamente. É uma daquelas almas perdidas mas geniais, que faz poemas e música pungentes, que faz passar todo o sentimento e todas as emoções do universo quando canta, enfim... Não conseguiria passar-lhe ao lado. Quando a minha amiga B. me ofereceu este último álbum de homenagem... nunca mais o larguei.

O Legendary Tiger Man é uma paixão recente. Resultado de passar o dia todo colada à Antena3. Este álbum dele é simplesmente fabuloso, todas as músicas nos dão aquela sensação de abrir a ostra e encontrar uma pérola.

O Michael Bublé é mais um velho conhecido. Sempre fui fã deste género de jazz, do Sinatra e do Rat Pack, e o Michael é um doce de rapaz, que alia esse charme monstruoso a uma voz suave e cheia de swing. Me like!

P.S.: Para "top it off", ainda ando a chorar o concerto dos Muse a que não fui, e que estou farta de ver descrito como "O concerto do ano"...

Rodrigo Leão



Acabei de o ouvir na Cimeira Ibero-Americana. Adoro-o! É do melhor que há na música nacional. Um digníssimo representante nosso, onde quer que seja.