segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Uma comunidade de amor.


Já terei aqui falado sobre a verdadeira admiração que nutro por esta comunidade ecuménica, composta acima de tudo de amor, fraternidade e gratidão a Deus, que dá pelo nome de comunidade de Taizé? Penso que não.

Antes de mais, passo a explicar, para quem não estiver familiarizado. Taizé é uma comunidade ecuménica cristã, ou seja, uma comunidade que visa o diálogo, a aproximação e a cooperação das correntes e pensamentos cristãos, quer a raiz deles seja católica ou protestante, com vista à unificação do cristianismo e em detrimento das barreiras históricas, culturais e dogmáticas. Assim, a Comunidade aceita toda a gente no seu seio, porque acima de tudo busca a reconciliação dos homens. Durante todo o ano, milhares de jovens dirigem-se à localidade de Taizé, em França, para durante uma semana participarem activamente da vida na comunidade.

O modus vivendi desta Comunidade faz-se, essencialmente, através da oração, reflexão e meditação sobre temas do Cristianismo e da actualidade. Em Taizé não há missas; sendo uma comunidade ecuménica, não faria sentido impor um culto ou uma cerimónia de uma facção às outras. Em vez disso, a celebração da fé em Taizé faz-se através das Orações da Manhã, da Tarde e da Noite. Estas orações são compostas por uma vertente musical, que se traduz em cânticos próprios, escritos em todas as línguas europeias, belíssimos, contemplativos, normalmente consistentes numa única frase ou pequeno texto que é repetido como um mantra, em busca da tal componente meditativa; e pela leitura de textos ou frases icónicos, que potenciem a reflexão e a auto-descoberta, como pessoa e como Cristão. Também estas leituras são feitas em várias línguas, pois Taizé pretende aproximar e não dividir os homens, independentemente da sua expressão.

Em Taizé Deus não pune, não oprime, não obriga, não culpa. Deus é alegria, amor e fonte de vida. A Ele devemos estar gratos por tudo o que temos; com Ele, devemos amar o próximo e propugnar o amor cristão por toda a parte por onde passemos. Por tudo isto, e porque me sinto Cristã antes de Católica ou whatever, porque a vertente espiritual e livre do culto me cativa, e porque de vez em quando preciso de lavar a alma nesta fonte, amo Taizé. E quero lá ir bastante em breve.

A comunidade esteve em Portugal, mais concretamente no Porto, no fim de semana do Carnaval, com o Encontro Ibérico de Jovens. Milhares de jovens reuniram-se aos Irmãos da Comunidade para reflectir e viver o tema "As Fontes da Alegria".

4 comentários:

Kika disse...

Um dia gostava de ir a um encontro...

♥ Handmade with love ♥ disse...

Recordo-me de já ter visto uma reportagem dessa comunidade na TV. Não sei se estou a fazer confusão mas tenho quase a certeza que é essa... Fiquei fascinada pelos ideais deles.
Convido-te a visitar o meu blog de acessórios e bijuteria. Espero que gostes e voltes mais vezes.
Bjinhos.
♥Marisa♥

VannD disse...

Já tive o privilégio de ir aos Encontros Internacionais de Paris e de Estugarda. O ambiente que se vive e respira é realmente algo do outro mundo. Digo isto porque quando olhamos à nossa volta no dia-a-dia só vemos miséria e desgraças. Ali, por momentos, conseguimos sentir o que seria viver num mundo perto da utópica perfeição.

Miss Star Pink disse...

É verdade naquele dia sempre foste?

Bjoca