quarta-feira, 26 de maio de 2010

Está decidido.


Vou ficar como estou e lutar (continuar a lutar) para ser feliz na vida profissional que escolhi. Não era o meu caminho, e estava a olhar para ele pelo prisma errado. Espero.

5 comentários:

Olhos Dourados disse...

Então que tudo corra bem!

Miss Star Pink disse...

Li o que escreveste anteriormente, só que ainda não tinha tido oportunidade de comentar. Acho que fizeste a escolha mais adequada. Nós devemos fazer aquilo que nos faz sentir feliz e da forma que mais gostamos. Por vezes o dinheiro e a "estabilidade" não são tudo. Com toda a certeza nunca te irias sentir feliz a fazer uma coisa rotineira, mesmo sabendo que não terias de te preocupar com o ordenado e que ao Dia X automaticamente ele te iria ter à conta.
Seguiste o caminho certo. A meu ver! :)

Beijoca

hoje vou casar assim disse...

Olá :)

Fico muito contente com a tua decisão, e concordo com o que a MSP disse :)
Há quem critique, mas eu costumo guiar-me por essa 'perspectiva'.

beijinho

Rita G. disse...

O mais importantes é seres feliz no que fazes! boa sorte:) bj

Anónimo disse...

Boa tarde! Li com muito interesse o post sob o título "CROSSROADS". Gostei bastante da forma como argumentaste as contradições que, por vezes, sentimos na profissão. Por vezes é tudo aquilo que desejamos e outras já não é bem assim.
Sinto o mesmo, embora numa área diferente (mas muito similar em muitas questões). Tenho hoje a certeza (já trabalho por conta própria há uns anos) que os clientes, não raras as vezes, são os nossos maiores "inimigos" e o stress, o cumprimento de prazos e afins, nos deixam exaustos. E, depois,aquela sensação da espada sobre a cabeça que nos "atormenta" a toda a hora. Mas voltando ao seu post de hoje, foi sem dúvida a melhor opção, porque muitas vezes paro para pensar e sei que se trabalhasse por conta de outrém teria muitos mais (ou pelo menos os mesmos) problemas e estaria condicionado a um horário, a um "chefe", etc, etc... Decididamente, apesar de tudo, tenho uma plena convicção, é muito melhor ser independente (com todas as dificuldades inerentes, é certo). Todos os dias traço o meu próprio caminho... tem uma qualquer coisa de "liberdade"... e como é bom sentir a liberdade.
Parabéns pela escolha!!