quarta-feira, 30 de junho de 2010

Estou triste.


E pronto. Perder, tudo bem. Acontece, mas é triste. Ainda para mais quando se vê claramente a tendência da arbitragem que foi feita - não vale sequer a pena dissecar mais o duvidoso golo com um fora-de-jogo que é à queima-roupa, mas existe, a expulsão escandalosa, o livre perigosíssimo que ficou por marcar e o amarelo que ficou por dar no lance do empurrão do Capdevila ao Ronaldo. Nada disto provavelmente alteraria o rumo do jogo (a não ser a anulação do golo), mas certamente que traz à derrota um sabor bem mais intragável. Pelo menos a mim, que me irrito imenso com a corrupção e, quanto mais não seja, com a incompetência.

Eles estão de volta a casa, e enfim, that's that. Mas tenho muitos aplausos a distribuir àqueles que, quanto a mim, se destacaram por serem incansáveis, atentos, cirúrgicos, certeiros, batalhadores: Eduardo, Fábio Coentrão, Tiago, Bruno Alves, Ricardo Carvalho. Kudos para vocês.

A minha teoria continua a ser a mesma: esta nação só será verdadeiramente abençoada com feitos da equipa das quinas daqui a uns 10, 15 aninhos. Quando o meu Mourinho do coração vier liderar esse esquadrão.

3 comentários:

Josefina disse...

Assino por baixo...um jogo cheio de irregularidades...enfim

hoje vou casar assim disse...

Eu estou triste com isso, mas também com a reacção dos portugueses, que têm o "instinto" de criticar e deitar abaixo.

Mi disse...

O Fábio Coentrão foi o jogador com mais passes errados nesse jogo, só não deu barraca na defesa porque tinha sempre alguém que aparecia para tapar o buraco que ele deixava... O rapaz é esforçado, reconheço, mas não é grande jogador como o querem fazer parecer.
kiss