quarta-feira, 16 de junho de 2010

Quem me conhece já sabe


Que eu não consigo evitar ser treinadora de bancada e discutir estas coisas até à exaustão. Mal de mim que não viesse ao meu próprio blog dizer alguma coisa.

Pois então, relativamente ao jogo de ontem, que estreou a nossa prestação no Mundial da África do Sul, muito pouco haverá a dizer. Não estou (nada) surpreendida, mas estou fula. Porque esperava estar enganada, e ver pelo menos uma exibição esforçada, ainda que não tivesse um resultado estrondoso.

Mas não, nem isso. Achei que a exibição da Selecção Nacional foi completamente desprovida de vontade, de raça, de emoção. Animicamente, achei que estamos muito mal. O CQ pode ser Professor, Doutor, PhD, whatever. Lá que sabe de futebol, sabe - na perspectiva TEÓRICA do desporto. Na prática, mais uma vez revelou a sua falta de adaptação às circunstâncias casuísticas, a sua falta de visão, a sua inabilidade de resolver uma situação completamente furada, a sua falta de capacidade de motivar os jogadores. O Scolari podia até ser tecnicamente falível - que era. Mas temos de lhe dar o mérito de ter posto uma selecção, e uma nação inteira, a ACREDITAR. E acreditar verdadeiramente, para mim, é meio caminho. Uma boa táctica em campo também ajuda, vá.

Ontem, como aconteceu na Coreia do Sul, e infelizmente em tantas outras situações, vi uma equipa débil e nada coesa, que desvalorizou o seu adversário, acreditando que as nossas potências individuais chegariam para lhes dar um nó no cérebro e vencer o encontro tranquilamente. Estou farta destas sobrancerias. É uma falta de respeito para com o adversário e, 90% das vezes, leva à derrota. Assim como assim, o empate já foi bem bom. E quanto às nossas potências individuais, uma palavrinha. Eu sei que toda a gente tem medo de se magoar e comprometer uma época inteira que está aí quase à porta. Mas ser um bom profissional não significa apenas ser compensado monetariamente pelo que se faz. Também quer dizer ter brio e ter orgulho; tentar fazer sempre o melhor que se sabe e se pode; ser humilde ao ponto de se saber trabalhar em equipa por um bem maior. E nesta situação, em que milhões de olhos expectantes estão postos em vós, não vos ficava nada mal suarem de verdade a camisola que têm a honra e distinção de vestir.

3 comentários:

Olhos Dourados disse...

Pois. Não vi o jogo.

Mi disse...

Eu, sinceramente, achei que o empate foi um bom resultado. A Costa do Marfim não é uma equipa fácil e tem bons jogadores, por isso empatarmos com eles foi bom. Claro que acho que algumas opções do Queirós são discutíveis... a história do Deco, a entrada do Ruben Amorim (o gajo veio de férias, treinou dois dias, e ainda o põem a jogar?! enfim...).
Não sei porquê que Portugal está em 3º lugar no ranking da FIFA, não quero ser pessimista, mas não acho que sejamos assim tão boa selecção para estarmos nessa posição.
Não gosto do Queirós, mas gosto ainda menos do Scolari, e sejamos honestos, ele também não ganhou nada...
kiss

hoje vou casar assim disse...

Concordo contigo, QoH!
Eu também não gostei nada de ver aquela falta de motivação em campo.
Estou triste com isso...
mas ainda não perdi a esperança.