quinta-feira, 15 de julho de 2010

Medidas extremas I


Com a actual conjuntura, as coisas não estão tão fáceis como noutros tempos de vacas mais gordas. Assim, e tendo em conta que as despesas estão sempre a aumentar e - no meu caso - o rendimento é instável, com alguma tendência a diminuir (pelo menos é o que tenho notado), é preciso ir tomando medidas com vista à poupança!

Para já, tenho algumas medidas que já estão a ser aplicadas, ou em planificação para execução imediatamente/a curto prazo.

1- A nível de trabalho, vai acontecer uma mudança estrutural na minha vida a muito curto prazo. Esperemos que isso venha auxiliar a conjuntura presente a mudar para melhor! Mas - espera-se - vai significar uma diminuição nos meus custos associados ao trabalho, que ainda não consigo quantificar, mas hopefully terá expressão que se veja.

2- A nível doméstico, houve uma significativa redução nos jantares fora. Jantar fora era talvez a maior das minhas indulgências pessoais. Tainadas com os amigos, jantares românticos com o maridinho... Adoro! Mas mal vimos que as finanças estavam a ressentir-se, toca a cortar nas indulgências como esta. Quem não tem dinheiro não tem vícios, não é assim que diz o povo? Agora tentamos restringir-nos a ocasiões especiais.

3- Quanto às compras semanais, vamos (effective immediately) deixar de consumir no Continente. Não me interpretem mal, eu adoro o Continente, tem imensos produtos óptimos, mesmo de marca branca, que eu já não dispensava. Mas noto imenso a diferença a nível dos preços... Assim, está instituído que vamos passar a comprar noutros locais com preços mais baixos, visto que as distâncias não são assim tão longas que deixem de compensar por causa dos gastos com gasóleo, etc.

4- Hoje mesmo vou cancelar a minha inscrição no ginásio. Quem quero eu enganar? Eu pago e depois não vou!!! Vou dedicar-me a tempo inteiro às caminhadas e tentar voltar ao jogging que cheguei a fazer diariamente - há muito, muito tempo...

5- Já de há algum tempo a esta parte, abastecemos sempre os nossos carros com combustível mais barato (mas sempre com o cuidado de ver se os carros não estão a ser afectados - há combustíveis muito mais baratos mas que trazem imensos resíduos e que depois vão provocar danos a outros níveis), ou com recurso aos cartões de desconto nas marcas mais caras.

6- Quando vamos ao cinema, agora vamos sempre ao mesmo. Temos um cartão que nos permite a entrada de duas pessoas pelo preço de uma. Significa que não variamos muito, mas não importa!

7- Agora que temos a Bimby, deixámos de comprar determinados produtos que antigamente consumíamos e que agora podemos fabricar domesticamente - começámos com coisas pequenas, como o queijo ralado, o pão ralado, as massas de pizza, folhadas, etc., sumos naturais... e vamos tentar explorar mais ainda as potencialidades da máquina.

Para já, vamos experimentar implementar ou continuar estas pequenas alterações, a ver se se nota alguma coisa ao fim do mês. Depois... logo se verá!

6 comentários:

Leana disse...

Existem algumas medidas eficazes:

- levantar dinheiro para fazer pagamentos de compras, quando se paga com o cartão, como não vês o dinheiro a saír da conta, acabas por não te aperceberes tão bem dos gastos;

- ter um mealheiro grande no hall de entrada, e quando chegarem a casa despejam para lá TODAS as moedas que têm na carteira (também podem pedir aos pais, padrinhos, etc., para contribuír...não custa nada atirar o barro à parede!);

- tentar fazer as compras do mês de forma a não terem que ir mais vezes ao supermercado, de cada vez que se vai lá acabamos sempre por trazer mais alguma coisinha...

- aproveitarem os descontos tipo 60% do Jumbo ou os 50% em cartão continente. Então se houver descontos em coisas tipo papel higiénico, guardanapos, cereais, e tudo o que tenha grande prazo de validade, aproveitar para comprar em maior quantidade.


Estas são algumas, pouquinhas vá, dicas, mas que eu acho que resultam muito bem!
Todas somadinhas dão muitos €€€ :)
E estão comprovadas hehe que eu estudei isto na faculdade :D

Bjinhossss

Kika disse...

Cá em casa também vamos ter mudanças profissionais.
Reduzimos bastante os jantares fora, começamos a fazer nós as pizzas (A maioria dos jantares era em pizzarias) e jantamos fora quando temos bons motivos :) Há algum tempo cortámos os pequenos-almoços no café, que era coisa que faziamos 2 ou 3 vezes por semana, conforme o tempo.
Quanto às compras, como diz a Leana tentamos ir ao mês, para diminuir as compras "extra". Também não temos inscrições em ginásios, porque não temos tempo e não vale a pena. Quem quer, tem a eliptica em casa e muitos kms de chão na rua :)
Quanto ao carro, especialmente no caso dele que faz mais Kms, optámos por investir num sistema de gás que só em meio mês de Junho nos permitiu poupar uns 30 ou 40€... Portanto estou confiante que foi um investimento que se pagará a ele próprio rapidamente!
Não deixámos de ir ao cinema, mas já não vamos 1 vez por semana como iamos (Falta de tempo, também!).
Temos um mealheiro no hall também, para as moedinhas "pretas" :)

Olhos Dourados disse...

Acho que são boas medidas!

Vee disse...

Eu nunca fiz grandes despesas por impulso. Posso gastar uma grande quantidade mas é planeado.
Confesso que esta tendência de nos contermos ao máximo me assusta porque penso no outro lado, na produção que vai ficar parada, nos empregos... Mas é inevitável pouparmos.

Isaal disse...

Em relação á Bimby, vou deixar uma dica em que se pode poupar muito dinheiro, faz iogurtes, com 1 litro de leite e 1 iogurte fazem-se 10, se precisares de receita diz, vais ver o dinheiro que poupas!!! Bj.

Sara disse...

Esse post podia ter sido eu a escrevê-lo! Concordo com tudo e tenho vindo a pôr em prática...
Já não vou ao ginásio há uns meses, a bimby tem sido a minha aliada na poupança e isso reflete-se também nas idas menos frequentes ao restaurante... No cinema fazemos o mesmo, mas mesmo com o cartão lá acabamos por comprar umas pipocas (eu não lhes resisto) é lá se vai a poupança toda... O que vale é que é muito raro lá irmos.
Quanto ao gasóleo é o marido que verifica onde está mais barato e assim se vai poupando e muito!
Beijinhos