terça-feira, 31 de agosto de 2010

Pet peeve


Tenho um novo ódiozinho de estimação: o Boarding Pass. Já li algumas críticas noutros blogues, mas não resisto a também escrever sobre esse assunto.

É que não suporto mesmo o programa! Quem me conhece sabe o quanto eu amo viajar, e - consequentemente - revistas de viagens, livros sobre viagens, programas sobre viagens. Por outro lado, sempre gostei imenso da Ana Rita Clara. Sempre a achei das presenças mais giras em tevelvisão, uma boa comunicadora, uma mente com alguma substância e cultura geral. Também não a prejudica o facto de ser originária da minha zona (cof, cof, olha o bairrismo).

Mas este programa... nem sei por onde começar. Quanto ao facto de ser patrocinado pela EasyJet e, nessa sequência, só focar cidades para onde a EasyJet voa de Lisboa, nada a apontar. São ossos do ofício, é para o que dá o patrocínio, tudo bem, melhor que nada. Nunca é demais a informação, embora por este factor alguns programas possam ser mais interessantes que outros.

Mas a perspectiva em que é rodado o programa em si... é hedionda. Tudo gira à volta da Ana Rita, mais até do que da cidade, a um ponto tal que chega a tornar-se ridículo. As dezenas de toilettes diferentes (chega a ser patético, quando dentro de um mesmo local, supostamente na mesma ocasião, ela aparece com DUAS roupas diferentes - mas lá está, a H&M patrocina, e quantas mais roupinhas se levar ao programa, mais cá cantam no armário, não é Ritinha?), as carinhas e boquinhas, as poses estudadas... é perfeitamente insuportável. A informação... pouca e pouco útil, digo eu. Sim, aconselham hotéis. A que preços? Para todos os bolsos? De várias categorias diferentes? Não se sabe. Sim, aconselham restaurantes. Preço médio das refeições? Não sabemos. Aconselham locais a visitar. Dicas úteis? Conselhos para poupar? Recomendações a não perder? Não temos, aqui só sabemos a história dos locais, que vimos na net ontem à noite. Fraco, fraquinho, confrangedoramente fraquinho.

A própria Ana Rita, que eu tinha em tão boa conta, parece ter-se convencido de que é mais top que as top. Se assim não é, parece, o que é tão real nestas coisas como o próprio ser. Estas férias li uma entrevista tipo relâmpago (de A a Z ou coisa que o valha) da menina numa das revistas femininas deste mês. Respostas robot, if you ask me. E a querer parecer o que não se é. Estou triste, Ritinha. Quando reencontrares o jornalismo e a tua identidade, volta, que a gente perdoa.

2 comentários:

Miss Star Pink disse...

Nunca vi esse programa. Fiquei curiosa! Hmmmmm...
Em q canal dá e a q horas?

Beijoca

P.S. Eu sabia q a Ana é da nossa zona, mas não sabia q é natural da freguesia q fica ao lado das nossas.

Queen of Hearts disse...

Passa na SIC Mulher, mas não sei bem em que horário, porque em canais de cabo... é aquele caos! :)))

Bem, eu li uma entrevista dela em que ela falava do programa, dizendo que era uma abordagem diferente, mais cool, mais urbana... Mas honestamente, ali só vejo é momices e pouca substância. É bom saber quais são os sítios mais trendy de cada cidade, mas um programa de viagens tem de ter outro tipo de informação... A meu ver, claro. :)