quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Eu sou eu e as minhas circunstâncias


Já dizia Ortega y Gasset. A nossa essência é definida e integrada pelo que nos rodeia. Pela nossa educação, o nosso contexto social, a nossa estrutura familiar... Mas também, ao mesmo tempo, por outras nossas circunstâncias: os nossos vícios, as nossas manias, as nossas preferências, as nossas singularidades, as nossas idiossincrasias. Tudo isto faz parte do "eu".
E tem sido recorrente nos últimos tempos. Uma das coisas que mais detesto nesta vida: que as pessoas (aquelas que supostamente me são próximas, por um motivo ou outro) não pensem em mim, não dêem atenção às minhas necessidades ou aos meus gostos, por mais simples, fáceis, inofensivas e pequeninas que as coisas sejam, e façam comigo o oposto daquilo que faço com e por elas. Que me ignorem, porque nem lhes passa pela ideia dedicar um minuto do seu precioso tempo a pensar nos outros, no que os pode deixar contentes ou fulos da vida. Quando, felizmente, elas se podem gabar do preciso oposto.

3 comentários:

Nokas disse...

Como te compreendo...

Miss Star Pink disse...

Mais uma para se juntar ao clube. Ultimamente tenho sentido tanto isso... Nos momentos em q mais preciso olho à minha volta e... Nem digo nada.

Beijoca

alex disse...

É verdade, sim senhora! Magoa, MESMO.

bjo