quarta-feira, 31 de março de 2010

Musical mood for the day.


Tão intenso. Também gosto muito do original cantado pela Nina Simone, mas... JB is JB.

A queda de um mito


Pelo menos para mim, quando soube disto. Não é que seja grande novidade para mim, ou para quem quer que seja - pai solteiro, duuhhh! Mas o Rickyzinho era para mim, nos meus late teens, o homem mais bonito do mundo e tudo e tudo e tudo. Mesmo quando cresci o suficiente para não me deixar levar pelos crushes da adolescência, ainda o continuava a achar bonito, só que com um pouco mais de noção de que o senhor se tornou algo parolito. De maneira que eu sempre preferi manter a cabeça enterradita na areia a uma profundidade razoável e pensar "nááááá, nada disso, o homem é lá gay", a ter de eliminar do meu historial de memórias anos inteiros de fantasias (inofensivas, atenção) ao som da "La Bomba", e da "La Vida Loca" e outras que tais. E pronto, é assim, é numa questão de segundos que redondamente cai um mito.

terça-feira, 30 de março de 2010

Eat, pray, love.


Além do SATC 2, este é para mim um dos filmes mais aguardados do ano. Tem a Julia Roberts, de quem gosto muito. Tem o Javier Bardem, de quem ainda gosto mais. E é baseado num dos livros de que mais gostei no ano passado. Li-o na minha lua de mel e viajei muito com ele. A história, de Elizabeth Gilbert, baseada na vida da autora, prende-nos e leva-nos com ela pelos trilhos do seu coração e deste mundo. Num momento em que se sentia adormecida numa vida convencional, infeliz num casamento sem paixão, Elizabeth decidiu buscar um novo sentido. Depois de um novo amor, que mais uma vez se revelou um poço sem fundo, decidiu procurar o seu caminho na vida sozinha; tirou um ano sabático e foi por esse mundo fora tentar encontrar-se novamente. Repartiu esse ano pela Itália, pela Índia e por Bali (comer, orar, amar). Retomou o prazer imediato de viver, na Itália: um verdadeiro modo de vida epicurista. Depois, o bem-estar espiritual, num ashram na Índia. E, por fim, praticar o amor incondicional, aquele que não é carnal nem direccionado a um só destinatário, em Bali. É, no mínimo, inspirador.

Não há coincidências.


Ontem à noite a I. mencionou esta frase de que tanto gosto. E hoje li uma referência a ela num dos blogues que sigo. Um dos meus motes nesta vida é que não há coincidências. As coisas acontecem por um motivo, porque têm de acontecer. Assim, será uma mensagem do cosmos para mim? Eu acredito que sim. Está encaixada!

segunda-feira, 29 de março de 2010

Songs I like #5


Pertence a um dos meus filmes de eleição, é melódica, romântica e melancólica. Ganhou um Óscar e é uma peça tão simples, como toda a banda sonora. Vale a pena ouvir e vale a pena ver o filme (ao qual em breve dedicarei um post).

Eu já vos disse...


... que me apetecia muito, mas muito, este ano ir ao Brasil de novo? É um pensamento que tem sido recorrente ao longo dos últimos dias, talvez por ter falado várias vezes no Brasil, por ter lido muito acerca, por ter visto imagens, não sei. O que sei é que me apetecia tanto! O chato é que já tenho o próximo período de férias marcado e não é para o Brasil que vou. Este ano, aliás, é difícil que vá - a menos que seja em Dezembro, e que até lá "pinte uma graninha manêra". Ai que era tão bom.

Ultimamente é todos os santos dias.


Não importa o quão me arranje, os cuidados que tenha, que as roupas que visto sejam giras ou não, que faça ginásio e massagens e etc. Isto tem sido assim todos os dias - olho o espelho e vejo uma pessoa de quem não gosto, quer ela seja a realidade, quer seja um produto do meu astigmatismo emocional. E estou farta, acho que bati no fundo do poço. Agora, the only way is up. Chega de lamúrias e auto-comiserações, de restrições impossíveis e de indulgências desastrosas. Vamos trabalhar para sermos por fora aquilo que por dentro tanto ansiamos. Vamos é ser felizes, que a vida são dois dias.

domingo, 28 de março de 2010

E, felizes e bem dispostos...


... cá estamos de volta. O Gerês estava óptimo como sempre, os amigos divertidos e boa onda para não variar, os miúdos regra geral bem dispostinhos, a comida demasiada mas deliciosa, a quinta era um mimo de tão gira, os passarinhos cantavam e nós relaxávamos. Soube bem e é programa a repetir!

Estamos a tentar salvar o planeta.

sábado, 27 de março de 2010

It's so true.

Estamos de fugida...






... para aqui!
Que o sol esteja connosco e... have a nice weekend everyone!

sexta-feira, 26 de março de 2010

A dança #2




A sério, por favor percam tempo a ver estes vídeos e digam-me se este não é O programa!
Todos estes vídeos são do programa de hoje e tocaram-me lá no fundinho do peito, cada qual por seus motivos.
No primeiro, os bailarinos encarnam dois ladrões muito engraçados, um mais inteligente, o outro menos dotado mas muito cómico. No segundo, o Kupono veste a pele do vício, que não liberta a Kayla, mau-grado a luta desta contra si mesma para vencer a adição. No terceiro e último, um brilhante e mega-sensual tango argentino.

Mas, na verdade, se eu fosse colocar aqui vídeos de todas as danças que me tocaram neste programa, nunca mais daqui saíamos. É um vício!!!

Nota: não sei por que motivo os vídeos aparecem tão grandes, mas se fizerem duplo clique em cima deles conseguem ver a imagem completa.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Na minha mesinha de cabeceira (#6)


Finalmente!! Consegui acabar o anterior e hoje vou partir naquela estrada , la la la, nesta nova aventura literária. Claro, se calhar para mim tem piada porque é do meu "mundo", mas penso que vou gostar!

Hoje cheguei à conclusão que...


... queria tanto ter uma coisa destas!
Sempre fui muito inconstante nos meus sentimentos pela Bimby, ora quero, ora não quero. É que na verdade eu gosto MUITO de cozinhar. Só não tenho tempo, ou quando chego a casa estoirada dos neurónios não tenho muita vontade - e às vezes duvido que tenha jeito. Mas confesso que me dá um gozo tremendo fazer experiências com os tachos, e se realmente tivesse mais oportunidade era algo sobre o que gostava de aprender mais!

Mas a realidade do quotidiano não me permite grandes liberdades nesse sentido. E sempre que leio coisas sobre a Bimby fico meio taquicárdica, ao pensar nas imensas possibilidades que a maquineta oferece, com um reduzido dispêndio de esforço! E já há tantas receitas disponíveis...

Mais: se o baby realmente vier ao mundo no próximo ano, considero a Bimby uma aliada fantástica, especialmente no que concerne ao momento em que tenho de começar a fazer sopinhas especiais para bebé, e ao aumento de actividade exponencial que vai haver lá por casa.

Se ao menos o raio da maquineta não fosse tão cara! Forreta me confesso, e há sempre esta ou aquela prioridade no momento... Pode ser que decidamos investir numa pequena poupança para a aquisição futura da nossa little helper.

quarta-feira, 24 de março de 2010

Beautiful people #2 - Matthew Goode


Oh I just love him. His brit accent, his charming devilish smile. In A Single Man, in Matchpoint, in Leap Year (soon, very soon). *sigh*

Beautiful people #1 - Monica Bellucci


Um dos seres mais estupidamente belos que o Criador alguma vez concebeu. É, sem dúvida alguma, o meu ideal feminino de beleza.

terça-feira, 23 de março de 2010

Feeling blue.


Hoje é assim que estou. Tem dias.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Songs I like #4


...uma das "nossas" músicas.

domingo, 21 de março de 2010

sábado, 20 de março de 2010

Alice in Wonderland





Fui na 4a passada. Gostei muito, muito! Imagens maravilhosas, de fantasia, uma doçura! Amei, claro está, o Johnny Depp, mas isso é sempre. Achei uma ternura este Mad Hatter. Odiei o genérico final com a Avril Lavigne. Arrggghhhh, depois de uma banda sonora fantástica de Danny Elfman. A mim, que nada esperava, Tim Burton não desiludiu.

Adoro #1






Inspirada pela Vee, tinha de o dizer: Adoro Melissas! As minhas - que vão aí em cima, nessas precisas cores - e as que ainda vou ter (hehehehe)!

sexta-feira, 19 de março de 2010

So happy it's Friday...


Depois desta semana produtiva(not), vai saber-me mesmo bem o fim de semana. Ainda por cima, é daqueles cheiinhos cheiinhos de planos.
Hoje, jantar com o sogro e cunhadinha. Ver o So You Think You Can Dance em ambiente familiar.
Amanhã de manhã, arrancar para casa dos papis. Dar um abraço enorme e muitos beijinhos ao meu pai, já que não o posso fazer hoje. Visitar avós. Ir ter com a minha prima, dar muito à treta, comer um belo jantarzinho e finalizar com uma boa sessão de cinema. Ligar ao M. 300 vezes cheia de saudades (not, não posso ser uma lapa. Mas vou pensar em fazer isso muitas vezes).
Domingo, almoçar com uma amiga na Foz - espero que até lá a chuva volte para o covil de onde saiu. Voltar para casa e ficar umas horitas no sofá a ser melosa. Jantar em Viana em casa de amigos e conhecer a bebé linda que eles têm.
Parece-me bem.

I've got a problem.


Essencialmente, não tenho os lindos cabelos compridos e saudáveis da Heidi. Passo a explicar.

O meu cabelo é daquela terrível raça sem nome que se caracteriza por: não ser liso nem ser encaracolado; ser muito, muito, muito; ser volumoso em demasia; ser indomável; ser oleoso nas raízes e seco nas pontas. Só qualidades.

Sempre (em mais de 75% da minha vida, pelo menos) usei o cabelo curto. À tigelinha, quando era pequenita; à rapaz, na pré-adolescência; estilo inominado, na adolescência; deixei crescer aos 17 anos e voltei a cortar aos 18/19; e a partir daí usei vários estilos e cortes, sempre pequenino. Cheguei a cortá-lo pente 3 (como se viu em fotos aqui ), deixei crescer umas pontinhas atrás, usei à garçonne... Enfim. Muitos anos, muitos estilos.

Quando decidimos casar, decidi deixar crescer o cabelo. Aumentar o leque de opções para o big day. O meu cabelo cresce rápido. Em 18 meses foi de curtinho, curtinho, a abaixo dos ombros.

Nunca mais me apeteceu cortar pequenino. No entanto, além do trabalhão que dá e que abomino, passo a vida em sofrimento por causa de uma praga que me assola desde que o comecei a deixar crescer. É que as pontas dos meus cabelos têm a infeliz tendência a abrir e ficar "espigadas". A minha tolerância zero às pontas espigadas faz com que ande constantemente a catar os fios de cabelo, à procura dela. Preciso de sair desta espiral auto-destrutiva (riso maléfico), mas como?!?!

Vou fazendo as (poucas) coisas que posso e para as quais tenho tempo: lavo umas 2 a 3 vezes por semana (com muito sacrifício, porque por mim cada vez que me enfiasse debaixo do chuveiro era head first!); uso champôs apropriados ao meu tipo de cabelo; uso creme nas pontas ou um spray desembaraçador que faz as vezes do creme e não necessita enxaguar (da Schwarzkopf Gliss); uso sérum para as pontas danificadas (também da Schwarzkopf Gliss); não seco com secador mais do que uma vez por semana; corto as pontas regularmente. Realmente, a única coisa que posso dizer que NÃO faço, porque não tenho tempo ou disposição, é máscaras.

Portanto, digam-me: o que posso mais fazer? O que mais queria era que o raio do cabelo passasse o comprimento estúpido que tem hoje (mais ou menos pelos ombros), mas só me apetece cortar OUTRA VEZ as pontas - e assim nem daqui a 10 anos; ou tenho de o deixar crescer com um aspecto miserável. Miracles, anyone?...

E foi a desgraceira ou como gastar um dinheirão em maquilhagem em menos de 10 minutos




E foi assim. Hoje lá fui a uma perfumaria escolher um perfuminho cheiroso para o meu sogro. Eis senão quando, antes de pagar, decido que é melhor ir ver um blush porque o meu se está acabar. O que foste fazer.
Não estava a conseguir decidir sobre que tipo de blush comprar - em pó, em creme? - e a menina da loja achou por bem sugerir-me um compacto da Dior que é 3 em 1 (tem compacto, tem um blushzinho e tem um iluminador). "Não quer sentar ali na cadeirinha? É que hoje temos cá uma representação da Dior e eles aplicam-lho e tudo - assim já pode ver o efeito que dá". E eu sentei. Quando me levantei novamente tinha acabado de adquirir um fond de teint líquido, o tal pó 3 em 1 e uma máscara de pestanas. Foi o delírio nas bancadas. Tiveram a sorte dupla de me apanhar em pré-ruptura de stock em vários produtos, e de eu ser tipo a pessoa mais fácil do mundo quando toca a convencer a comprar - ui, então se houver alguma promoção associada... sou o tipo de pessoa que compra um produto porque está a oferecer outro. Parola.
Mas a verdade é que os produtos são mesmo excelentes. Saí de lá com os 3 produtos que comprei aplicados e num curto espaço de tempo três pessoas disseram-me que estava especialmente bonita hoje, com uma cara óptima (muahahah mal sabiam eles do que era).
Por isso, recomendo vivamente:
- Da linha Diorskin Nude, o Compact Nuancier Effet Peau Nue (o tal 3 em 1, que se pode ver na primeira imagem) e a Teint Fraîcheur Effet Peau Nue (3ª imagem);
- Máscara Diorshow Extase.

quarta-feira, 17 de março de 2010

A dança #1


É um dos meus maiores prazeres na vida. Em casa, numa discoteca, num salão de baile. É uma forma de exprimir o que sinto e de deixar sair tudo cá para fora, o que me angustia e o que me traz alegria. É sensual. É divertido. É balsâmico. É regenerador. Gosto de sentir as linhas do meu corpo alongarem-se enquanto danço. Gosto de ver os meus pés a ganhar vida própria, as minhas mãos a mover-se com elegância e subtileza. Gosto de dançar com ele, sentir o abraço dele e a naturalidade com que lhe saem os movimentos tão suaves. Não quero parar nunca.

Oh pá sou mesmo uma mulher de sorte.


Mega panada por detrás no nosso Smartzuni. O bichinho parece-me bem, e eu também, à excepção da dorzinha irritante nas costas.

Cheguei a uma triste conclusão.


De que vou ter de deitar fora uma das minhas peças preferidas de roupa ever. O meu casaco preto de meia estação que eu tanto amo. Comprei-o na Zara há 3 anos e foi amor à primeira vista. Nem fui eu que o vi, foi a minha amiga C. Por azar (dela), só havia em L. É preto e tem um corte evasé pela anca. Tem uma manguinha curta, com franzido nos ombros, adorável. Tem dois botões enormes , mesmo à 60's. Gosto tanto dele. E ele atingiu o ponto máximo da sua esperança de vida. Hoje fui buscá-lo para o vestir e cheguei à triste conclusão que o meu querido casaco preto está unwearable.

P.S. Eu até sou daquelas pessoas que dá logo a roupa que não quer mais usar; prefiro que ela esteja a ter bom uso por parte de quem precisa do que esteja quietinha no meu armário a ocupar lugar. Ou deito logo fora se estiver irremediavelmente estragada. Mas há peças... *sigh*

terça-feira, 16 de março de 2010

Filmes da minha vida #3 - Antes do amanhecer/Antes do anoitecer



(Ou deveria ter dito #3 e #4? Whatever.)
Nem sei bem o que dizer, sei que vou usar muitas vezes o verbo "adorar". Vi os dois filmes em alturas tão distintas da minha vida... Por ser praticamente da mesma idade das personagens do filme, senti que em ambas as alturas os diálogos me fizeram muito sentido.

Adoro o trinómio Richard Linklater - Ethan Hawke - Julie Delpy.
Adoro as locações - Paris então!!!!!
Adoro a simplicidade dos diálogos - and yet so wise.
Adoro a ideia de um amor imperfeito e inacabado, impossível e ao mesmo tempo tão irresistível.
Adoro o acordo feito, tão An Affair to Remember.
Adoro o tipo de filmagem documental, coloquial.
Enfim... quero rever, sempre.

No rescaldo...


... que já lá vão uns bons dias, tinha de deixar os meus 2 cêntimos acerca dos resultados desta cerimónia.

Jeff Bridges - ainda não vi o Crazy Heart, mas vou dar de barato esta atribuição. Eu ADORO o Jeff Bridges e já não é de hoje. Aliás, o que mais gostei no The Men Who Stare At Goats foi mesmo a presença do JB. Um senhor.

Christoph Waltz - se me tivesse lembrado, até tinha acendido uma velinha para lhe dar sorte, de tanto que queria que ele ganhasse o Óscar. Felizmente não foi preciso - o talento dele foi o suficiente para assegurar o galardão. A interpretação foi magistral.

Sandra Bullock e Mo'Nique - no surprises. Ainda não vi nenhum destes filmes, mas depois dos awards anteriores, já esperava.

The Hurt Locker e Kathryn Bigelow - depois da sessão de cinema de ontem à noite, nem sei bem o que diga. Acho que foi acima de tudo uma vitória e uma atribuição de cariz político. E mais não digo. Se me coubesse a mim algum poder, tinha galardoado o Inglourious Basterds.

The red carpet - não há muito a acrescentar ao que li por essa blogosfera fora. A Demi - esplendorosa. A Cameron Diaz - uma agradável surpresa, basicamente nunca gosto muito do que ela veste. A Rachel McAdams - não esperava, mas gostei muito. Elie Saab nunca desilude. São as minhas três preferências da noite.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Qualquer dia este vira um blog sobre cinema...


... mas a verdade é que consumo MUITO cinema. Anywhoooooo.... Estive duas horas e picos a debater-me com este filme e... não. Não consigo. Achei uma tremenda seca. Não se pode acertar sempre!

Songs I like #3


Já acordei ao som desta música durante muito tempo. E prefiro esta versão ao original.

30 objectivos para este ano.


A minha querida Josefina passou, e eu, como menina obediente que sou, respondo. Até porque me ajuda a sistematizar, objectivar e estabelecer metas.

1- Get knocked up. :)
2- Ainda fazer uma viagem mega espectacular antes de isso acontecer. :) (booked)
3- Dominar a minha ansiedade.
4- Estar mais tempo com a minha família.
5- Passar mais tempo com as amigas.
6- Poupar dinheirinho para os objectivos de 2011.
7- Eliminar as pessoas/situações da minha vida que apenas me causam stress e mal-estar.
8- Perder os 10/15 kgs que quero perder (antes de getting knocked up).
9- Continuar a ir ao ginásio com regularidade.
10- Quando o sol vier, retomar as caminhadas de fim de dia, na companhia do meu mp3.
11- Continuar a dançar todas as 3as e 5as.
12- Ser mais objectiva no meu trabalho.
13- Vencer os meus piores defeitos - a preguiça e a procrastinação.
14- Continuar a ir ao cinema pelo menos uma vez por semana - pelo menos até Setembro. :)
15- Acordar e agradecer a quem de direito por estar viva e pelo dia que vou poder viver.
16- Conseguir ser mais positiva.
17- Dar um companheiro de brincadeiras à minha gata.
18- Conseguir deixar crescer o cabelo até onde quero - para experimentar.
19- Aprender a aceitar a face da moeda que ficou virada para cima quando ela deixou de rodar.
20- Ter vontade.
21- Gostar mais de mim.
22- Mimar muito o meu M.
23- Trocar o duche por um banho de imersão mais vezes.
24- Finalmente decidir-me a colocar qualquer coisa por cima da cabeceira da cama.
25- Não descurar as amigas que fui fazendo, e que não estão fisicamente comigo, escrever-lhes mais regularmente.
26- Organizar um jantar com a minha turma de formação de formadores.
27- Fazer praia.
28- Comer sempre o mais saudavelmente possível.
29- Comer todo o sushi que conseguir antes de getting knocked up.
30- Namorar sempre, pelo menos tanto como tenho feito até agora.

Shutter Island


Gostei muito. Muito mais do que do "The Aviator" ou "The Departed". Mas também não me espanta, sendo inspirado na história do Dennis Lehane, um dos melhores (a meu ver) escritores de mistério e thriller dos nossos dias.

domingo, 14 de março de 2010

Surpresas agradáveis.


Às vezes sou verdadeiramente tocada ao ler determinadas pessoas. Acontece-me imenso desde que ando a pairar pela blogosfera, que se revela um poço infinito de descobertas enriquecedoras. Prefiro nem sequer valorizar as suas menos-valias, e dedicar-me a desembrulhar estes pequenos presentes que diariamente recebo deste mundo.
Desta vez, foi pela pena - salvo seja - da Miss Glitering, que tanto aprecio ler, e que adivinho tão amável como as palavras que deixa diariamente, que me rendi a um blogue que ainda não conhecia. Especialmente a este texto. Vai ficar aqui ao lado, (mais um) para acompanhar com avidez.

Cheguei.











Foi uma semana intensa e gostosa. Tão gostosa!

Viagens longas que deixaram o corpo tolhido de cansaço, mas não a mente - só por estar na companhia sempre estimulante da minha outra metade da laranja. Um grande nevão no dia após a chegada, tão grande como não se via há muito por aquelas bandas e que se estendeu até paragens tão inesperadas como Barcelona - um nevão que nos proibiu de sair da cidade, e nos permitiu perder-nos em tentações desejadas. De resultado, trago vários cremes, um perfume novo a cheirar a Verão, acessórios... Nos dias que restaram, um sol esplendoroso, temperaturas constantemente abaixo de zero, exactamente aquilo que se espera quando se vai para Andorra. Vallnord, uma excelente surpresa. E uma imensa alegria por ter conseguido evoluir, ultrapassar alguns meus receios e crescer sobre as minhas limitações. E perceber que realmente até gosto muito de snowboard.