terça-feira, 30 de novembro de 2010

I need a break. So, so long.


De vez em quando faço isto. Se acho que há algo que me faz sentido num momento, faço-o. Se, por alguma razão, essa actividade deixa de me fazer sentido, não perduro nela por nada. Abandono, interrompo, procuro o meu bem-estar noutro sítio.

Acontece que, neste momento, não me sinto bem aqui, tão bem como deveria. Ou melhor, o blogue não me tem trazido - ultimamente - o escape, a descontracção, os good feelings que preciso que ele me traga. Os outros blogues também não. Por isso, quem está mal muda-se, não é? Eu vou, mas hopefully não irei para sempre.

Sim, devo ter definitivamente queimado um fusível. A verdade é que não me sinto bem há muito tempo (já o disse, sei que sou chata), e infelizmente não retomei ainda a minha velha persona. Mas, por esse mesmo motivo, não vou estar por aqui a encher chouriços com posts que não vão interessar ao Menino Jesus, apenas para manter um "público". Muito menos quero deixar o blogue cair na deprê. Não foi para isso que o criei. Assim, um ano volvido, eis que a sua vida fica suspensa por algum tempo.

Oxalá que esta pausa sirva os seus propósitos. Que daqui a algum tempo (pouco, espera-se) volte renovada e vitaminada, cheia de vontade de contar experiências, partilhar pensamentos e dedicar-me a futilidades. Por enquanto vou de viagem, em mais do que um sentido - no sentido real e, este mais importante, no figurado.

E entretanto quem me quiser, ou de mim precisar, sabe onde me encontrar.
Ainda que extremamente sensibilizada com as mensagens que me deixaram ontem, é algo que preciso de fazer.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Tenho fome, tenho frio, estou cansada das vistinhas

E mesmo assim estou para aqui alapada à secretária, de sentinela, à espera que um exmo. cliente me traga dados importantíssimos para uma peça processual decisiva, de relativamente fácil acesso para ele e pedidos por mim há cerca de uma semana, com a advertência de que o prazo terminaria hoje, e cuja não apresentação lhe pode custar uma pipa de massa. Claro que, se a pipa de massa lhe sair dos bolsos, a culpa será sempre única e exclusivamente minha...

Chego à conclusão que só podemos ser tão bons advogados como os nossos clientes sejam bons clientes. E com bons, quero dizer responsáveis, para o que aqui está em causa. Mas poderia também querer dizer cumpridores, respeitadores, sérios. Porém, isso é sermão para outras missas...

Já por aqui andamos há um aninho


icanread
Nunca esperei nada deste blogue, a não ser que fosse um escape para a seriedade do meu quotidiano. Poder aqui dizer coisas sem nexo para quem não está dentro da minha vida quotidiana, poder falar de inutilidades, poder desabafar sobre assuntos sérios. Enfim. Que me ajudasse a lidar. Acabei por me surpreender em alguns quadrantes. Aprendi que se pode interagir, e muito. Que nos podemos, afinal, dar a conhecer a pessoas com quem temos tanto, afinal, em comum. Que podemos, sem nos apercebermos, relativizar as nossas dores e pequenas indigestões. Hoje, felizmente, sinto-me surpreendida, ao completar um ano de existência como Rainha de Copas deste meu pequeno baralho privado.

Ainda assim...

domingo, 28 de novembro de 2010

Eu juro pela minha saudinha que me tento portar sempre bem

Mas depois põem-me estas coisas indecentes à frente, e...
Onde já se viu, virem agora com a invenção de um pão-de-ló de Ovar (se bem o conhecem, é aquele muito humidozinho, cheiinho de creme de ovos), mas de chocolate???? Hem???? É cruel demais. E irresistível. Digo-vos eu.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

A um mês do Natal...


Este ano, o meu Natal não terá árvore em casa - com os meus dois pestinhas, e tendo já a experiência dos anos anteriores só com a Anouk, era certo e sabido que iria refazer a decoração todos os dias, e não me apetece. Este ano, o Natal não é acompanhado das iluminações de que tanto gosto, nem da música nas ruas - entendo as motivações que estão por detrás destas medidas, mas faz-me falta. Ainda assim, nem que se tenha de fazer algum esforço extra para entrar no espírito, está oficialmente aberta a época natalícia! E é sempre uma das minhas épocas de eleição do ano. Que seja um Natal feliz e cheio de saúde, paz e amorrrrrr para todos nós.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Há muito tempo que aqui não se falava de sushi


No sábado passado, voltámos a jantar num restaurante que já é dos nossos favoritos aqui na minha cidade, e do qual ainda não tinha falado. Chama-se Nikko e serve um dos melhores sushi que já provei. O melhor de tudo é que está no mesmo espaço de um dos melhores italianos aqui da terra (o Sale e Dolce), o que significa que podemos estar a jantar na sala do italiano com os amigos que não gostam de japonês, mas pedir sushi... ou jantar na sala do japonês, mas se nos apetecer um belo tiramisù de sobremesa, aí está ele!
De entrada, comemos uns maravilhosos crepes: de legumes japoneses e de camarão com alho francês. O chef fez-nos uma oferta de cortesia: sashimi de salmão com molho spicy. De seguida, para mim um mix de sushi de chorar por mais; o M. escolheu gyu niko (carne barrosã dop grelhada com flor de sal), acompanhado de yaki meshi (arroz salteado com legumes). Para terminar, um bolo de chocolate do outro mundo e uma tarte de maçã quentinha, com gelado de baunilha.

Não é de todo uma refeição económica, mas é sem dúvida de qualidade superior à média. Recomendo!

E vivam os posts agendados. Dão cá um jeitaço...

E nisto, estava eu mergulhada naqueles pensamentos menos bons...

... quando chega ele ao pé de mim com uma caneca de chá a fumegar, para que eu estivesse bem quentinha e aconchegada a ver a final do "The Biggest Loser".

That's why you're the best thing in my life.
You make it all worthwhile.

E é também por isso que tantas vezes tenho tanta pena de estar assim, de não ter as ideias no lugar, como ontem dizia o Capitão Microondas. Acredita que é mais forte do que eu. Mas tu mereces muito melhor do que isso.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Se calhar até era melhor ficar calada e quietinha

Mas não me apetece. Apetece-me chorar devagarinho, sei lá por quê, ou sei? Farta. Desalentada. Desanimada, cheia, cheia, cheia. Farta de tudo, sem paciência até para as coisas que me dão prazer. Problemas? Não sei se tenho, se calhar não, se calhar é mesmo só tristeza, não sei por quê, ou sei? Se calhar é só hoje. Apetece-me não ter este trabalho. Apetece-me acender de novo a minha centelha, fria e estéril há tempo demais. Apetece-me ter vontade de rir. Não tenho. Pensar em coisas boas, não penso. Viver longe, viver em paz, sossegada, sem stress. Dormir uma noite inteira sem sonhos estranhos, sem acordar trinta vezes, sem estar sempre semi-consciente. Apetece-me conseguir estar em ócio, descontrair, viver avidamente esses momentos. Apetece-me poder parar de lutar comigo mesma. A minha cabeça, hoje, está a mil rotações por segundo. Os pensamentos até se atropelam. E nenhum traz um sorriso com ele. Se calhar é só hoje...

Mad Men

Há tanto tempo que tinha em casa a primeira temporada de Mad Men, e sempre com preguiça para começar a ver... Ontem à tarde resolvemo-nos. E, volvidos apenas 4 episódios, já estamos presos ao enredo.
Considerações:
- Nunca vi tanto cigarro, toda a gente fuma nesta série.
- Percebo agora a febre Jon Hamm.
- É engraçado ver os paradigmas da nossa sociedade de hoje todos virados do avesso - 50 anos fazem de facto imensa diferença, cultural e sociologicamente falando.
- Os figurinos desta série são lindos. Em termos de moda, adorava ter nascido nesta altura.
- NY transpira glamour, seja em que época for, mas nas décadas de 50/60 era uma coisa por demais.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Do alheamento total


Estranho não ter pc em casa durante uma semana inteira e ter pouquíssimo tempo no escritório para utilizar na internet - não gosto nada da sensação de que estou a gazetar, e, francamente, não tenho tempo para.* Não escrever no blog (viva o agendamento de posts) nem poder visitar condignamente os blogs que sigo. É estranho! Cria-se um tal hábito que parece que nos falta alguma coisa... mas ao mesmo tempo é estranhamente libertador.

* salvo esta digníssima excepção e/ou lanches ou almoços à secretária, em que me permito uns ávidos minutos de lazer. :)

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Como sempre, ando deliciada com o Outono



Bem, não com a chuva, isso não. Abomino tempo chuvoso. Já o frio não me incomoda muito. Adoro roupas quentes, botas, chapéus, cachecóis, casacos. Adoro andar na rua com um belo sol a brilhar, bem agasalhada, a ver a respiração a condensar.

E, como sempre, já me estou a desviar do que aqui me trouxe hoje. Ando deliciada com o Outono e os seus frutos da época, os meus preferidos: as castanhas docinhas, os diospiros sumarentos, os figos pingo-de-mel, as peras bem gordas, as clementinas tão aromáticas... Que bem que me sabem!

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Já se aproxima o Natal...

C:\Documents and Settings\spedro\Ambiente de traba

E prendinhas, já compraram? Então passem lá no estaminé da Maria e do gato. Há coisas giras, giras a leiloar.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

E eu...


... que até nem sou a maior fã do meu aniversário, que por algum motivo costumo andar de mau humor no meu aniversário, desiludida com o mundo - talvez porque nunca fui muito apologista dos dias em que "temos" de estar felizes e de bem com a vida, ou porque crio expectactivas que me saem sempre furadas nestes dias - , ontem mantive sempre um sorriso nos lábios, por me ter sentido amada, acarinhada, lembrada. Só tenho a dizer que as minhas pessoas são o mais importante do meu mundo.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Happy birthday me


Mais um. Venham muitos, é o que se quer.

domingo, 14 de novembro de 2010

Eu e as viagens #4


Não sou o género de pessoa que não quer voltar aos sítios onde já foi feliz. É muito bom ter a experiência do desconhecido, viver as coisas pela primeira vez, observar locais e costumes inéditos, ter recordações novas para colocar no baú. É, talvez, insuperável. Mas eu gosto, na verdade, de voltar aos lugares onde fui feliz. Não devo ter, nem tenho, a veleidade de querer que tudo o que lá vivi se repita. Gosto de ver tudo sob prismas diferentes, talvez menos do ponto de vista do turista e mais do nativo. Aproveitar os modos de vida de cada local e as experiências que daí posso retirar. Mas confesso que só o facto de estar novamente nesses lugares é o suficiente para me despertar um bem-estar supremo.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

É que depois o problema


É que, por mais boa vontade que tenha em perdoar quem me magoa, e guarde poucos ressentimentos de verdade nesta vida, a verdade é que me é muito complicado esquecer. Letting go.

Eu sou eu e as minhas circunstâncias


Já dizia Ortega y Gasset. A nossa essência é definida e integrada pelo que nos rodeia. Pela nossa educação, o nosso contexto social, a nossa estrutura familiar... Mas também, ao mesmo tempo, por outras nossas circunstâncias: os nossos vícios, as nossas manias, as nossas preferências, as nossas singularidades, as nossas idiossincrasias. Tudo isto faz parte do "eu".
E tem sido recorrente nos últimos tempos. Uma das coisas que mais detesto nesta vida: que as pessoas (aquelas que supostamente me são próximas, por um motivo ou outro) não pensem em mim, não dêem atenção às minhas necessidades ou aos meus gostos, por mais simples, fáceis, inofensivas e pequeninas que as coisas sejam, e façam comigo o oposto daquilo que faço com e por elas. Que me ignorem, porque nem lhes passa pela ideia dedicar um minuto do seu precioso tempo a pensar nos outros, no que os pode deixar contentes ou fulos da vida. Quando, felizmente, elas se podem gabar do preciso oposto.

Mood to start the day off


Hoje não estou para amar.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Por ter visto uma reportagem sobre lapidação na RTP África


... que muito apreciei, tomei contacto com este filme. Tenho de o arranjar de alguma maneira, quero muito vê-lo e acho que já não vai aparecer por cá no circuito comercial. Ainda por cima tem o Jim Caviezel - o que eu adoro este homem!

Eu e as viagens #3


Ao andar a explorar os meus álbuns de fotografias, constato que já visitei quatro dos continentes deste mundo em que vivemos. Um dia quero pisar o quinto.

Séries, séries, séries



O nosso Outono/Inverno costuma ser passado maioritariamente desta forma: quentinhos em casa, no sofá com uma manta, os gatos e alguma coisinha para morder. Os desvios à regra são: jantaradas (sempre muitas, graças a Deus), programas com amigas/os, idas ao cinema, aulas de dança e/ou noites dançantes. Bem, fazemos outras coisas, mas bottom line ficamos muitas vezes em casa na época mais fria do ano. E a nossa companhia tem sido cada vez mais as séries em detrimento dos filmes.

Estas duas acho que ainda não tinha mencionado aqui. A primeira temos seguido na Fox Life, e cada semana gosto mais da personagem da Julianna Margulies - uma rocha. E as séries de advogados sempre foram das minhas preferidas, wonder why.

A segunda, bem, depois de termos lido este post, o M. disse-me que tinha já há algum tempo o piloto para experimentarmos, mas que andava a dar prioridade às habituais. Só vos digo, depois de vermos o piloto ficámos automaticamente fãs. Já vamos no 7º episódio e ainda não perdeu a piada. Muito bom.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Do jogo de ontem

Que eu nem sequer vi, porque sinceramente aprendi a lição: foram anos que cheguem a "sofrer do coração" à conta do futebol. Claro que depois de saber o resultado já fui ver resumos, comentários, notícias e tudo o que mais venha. Porque este amor que se tem pelo clube não morre com a idade, não morre com o distanciamento. É inato e é inerente. Por tudo isto, pelo que fizeram ontem - que foi bonito de se ver, desportivamente falando, pelo que já me deram de alegrias nesta vida, digo alto e bom som: Bibó meu Porto!

E, dito isto, não pretendo vir para aqui com piadinhas à custa de quem perdeu e por isso sofre. Aliás, gente bem próxima a mim cujo cérebro não quero trincar com essas piadinhas. Mas vou partilhar com todos, portistas, benfiquistas e demais, este texto do MEC - ultimamente, sempre o MEC -, que demonstra a classe, o fair-play, o humor inigualável deste senhor, encarnado de coração. Visto aqui.

"Que estranho complexo leva o Porto a esforçar-se tanto? Que impede o Porto de ver o Benfica como uma equipa de futebol como qualquer outra? A humilhação não é perder por pouco ou muito - a humilhação é uma equipa que já está a ganhar por 3-0 jogar como se ainda tivesse de marcar mais três para não ficar mal vista. "

______________________________________

"O Benfica é como eu: vai ao Porto para não fazer nada e comer bem."

______________________________________

"A bancada portista dá os parabéns a Pinto da Costa. Tem razão. O Futebol Clube do Porto é, de longe, há muitos anos, não só o melhor clube português como o único que transcende Portugal.



Ser benfiquista é ser capaz de reconhecer as verdades sem deixar que elas nos perturbem o amor e a admiração pelo Benfica."
______________________________________

"Hulk marca o quinto golo. Nunca mais acaba o jogo. Só espero que o Benfica não tenha a deselegância de cair na foleirice de tentar marcar o "golo de honra". Qualquer golo do Benfica seria, neste contexto, tão patético como a sofreguidão portista de marcar três golos em cada parte.


Só falta um do Porto - mas cheira-me que o Porto não vai ser capaz.


Deve ser muito frustrante para ele."

______________________________________

"Acabou, graças a Deus! Nem o Benfica foi piroso ao ponto de marcar um golo de honra nem o Porto foi capaz de marcar o sexto.



Estiveram bem ambas as equipas. O Porto esforçou-se de mais - mas não o suficiente. O Benfica nem sequer fez um esforço - mas, mesmo assim, o Porto não conseguiu marcar seis.


Pela minha parte, passarei a pensar duas vezes antes do Público me convidar a comentar Portos-Benficas."

Dermite seborreica


Não é bonito, mas é o que eu tenho. Quinta-feira passada fui à dermatologista por causa do problema de descamação de que já tinha falado por aqui. E disse-me a senhora, de quem até gostei bastante, que o meu problema é dermite seborreica. Uma inflamação crónica na pele, exacerbada pelo stress, que causa desequilíbrio na gordura da epiderme e faz a descamação horrorosa que eu estava a sentir.

É engraçado que, depois de ela o ter dito, lembrei-me de este problema já me ter sido diagnosticado há muito anos. Mas tem andado tão controlado desde que foi tratado, que nem me lembrava mais que o tinha.

E pronto, agora é lavar a pele de manhã e à noite com um produto Uriage, usar de seguida uma emulsão da mesma marca, nos primeiros 8 dias usar um corticóide para resolver a situação mais aguda, e nos seguintes adoptar um hidratante especializado para este problema. Quanto ao champô, fiquei com o Kélual/Squanorm, que ela disse ser óptimo. O que é certo é que, ao fim de dois dias de tratamento, já sinto uma enorme diferença. Yay!

domingo, 7 de novembro de 2010

Estou práqui tão quentinha


Estendida no sofá com a minha super manta de pêlo, que era mesmo isto (^^) que me apetecia para um perfeito equilíbrio. Estou tão "desconsolada" hoje. À falta de melhor, vou fazer um bacalhau com natas e um leitinho creme com canela para a sobremesa.

... and old addictions.

Temos uma relação complicada. Confesso que sou um bocadinho agarrada. Às vezes prefiro evitar o mais possível, porque se começo a ver, é certo e sabido que vou ficar apanhadinha. Os reality shows.

E não é pelo elevado nível dos programas, pela temática subjacente a cada reality show. É pela parte do reality: eu acho estes programas interessantíssimos, acreditem-me ou não, de um ponto de vista sociológico.

Quem me conhece sabe que eu tenho uma grande vertente analítica. Está fora do meu controlo, eu bem tento dominar-me mas não consigo, é a minha veia "Lua em Virgem". Eu analiso tudo, as pessoas, as posturas, repasso conversas que tive, penso em como as minhas palavras podem ter sido interpretadas...

Daí que, ao ver reality shows, aquilo que me prende é a vertente sociológica. Perceber como as pessoas se relacionam, como interagem, quem é bitch e quem é genuinamente boa pessoa, como as pessoas são quando estão sozinhas ou à vontade, e como são quando estão em grupo. Pronto, acho fascinante.

E não estou a falar do Secret Story. Felizmente consegui não me "agarrar" a esse, porque não vi o início e então agora não apanho o fio à meada. (Mas confesso que, em passando por aquele certo canal, ainda lá fico um bom bocado até dar uma chapada em mim mesma e prosseguir o zapping).

Neste momento, e já há 2 ou 3 seasons, o meu vício é o The Biggest Loser. Eu sei que muita gente vê, inclusive gente deste mundo cruel que é a blogosfera, e que muito se fala sobre isto. E, no fundo, toda esta converseta era mesmo só para introduzir aquilo que realmente quero dizer: odeio aquela Vicky. Odeio, odeio, odeio. Má até ao tutano. Interesseira, só está ali pelo dinheiro. Nem por ter dois filhos em risco de adoptarem os maus vícios dos pais, nem por ser uma séria candidata, e bem assim o marido, a ter problemas de saúde potencialmente fatais. É mesmo pelo dinheiro. E pelo dinheiro é capaz das maiores maldades e manipulações. Ai, odeio. Odeio aquele sorriso shakesperiano, como dizia o outro.

sábado, 6 de novembro de 2010

New additions



Fotos retiradas da net.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Mike pá, se me estás a ler, isto é para ti: tu não desiludes nunca.



Parece que é quase tabu na blogosfera (o que muito me irrita, parece que tudo o que mais de 5 pessoas partilhem é massificado e parolo, já não se pode ouvir falar etc, etc, etc), mas eu quero cá saber: eu FUI, eu AMEI, eu REPETIA hoje se pudesse. Eu tenho todos os álbuns, eu ouço-o há anos em casa, no carro, no mp3, nas aulas de dança. Eu GOSTO.

E ontem, ele foi amazing. Um senhor-espectáculo, um entertainer do mais amoroso, que tornou o concerto numa experiência de calor e numa verdadeira festa. Eu comecei o espectáculo sentada, na 16ª fila (parece mais longe do que na realidade é, tão pertinho!) e terminei-o de pé, à frente da 1ª fila, a dançar e a cantar aos berros. E ele também gostou. Sentiu-se amado cá em Portugal.

Uma nota muito positiva para os Naturally 7, que fizeram o warm-up e ainda deram uma perninha para um dueto com o MB.

Quando quiseres volta, Mike. Cá te esperamos como sempre.

Obrigada mana, pelo presente de aniversário antecipado. Best ever. :)

terça-feira, 2 de novembro de 2010

E é hoje, here we go.


Aí, Mike. Tá-se bem, também vou gostar de te ver. 'Té mais logo.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Eu e as viagens #2



Quando viajo, tanto gosto de procurar culturas diferentes, o mais diferente possível da minha, cheiros e sabores exóticos, aprendizagem e novidade, como locais mais próximos da minha própria realidade, cidades dinâmicas onde me sinta cosmopolita, centros históricos de grande beleza. Tudo depende do momento. Da disponibilidade económica e de tempo livre. Do apetite e do estado de espírito.