sábado, 31 de dezembro de 2011

Ano Velho, Ano Novo

Posto que este é o último dia de 2011, apraz-me dizer que, por vários motivos mas um em particular, este foi um Ano Velho feliz. Nem tudo foram forças, perdi pessoas e isso muito me custou. Mas ganhei uma pessoinha sem a qual já não me lembro bem como era.

Passei 2011 grávida, desde o dia 12 de Fevereiro. Na verdade desde antes disso, mas antes disso não o sabia. Por esse motivo, 2011 vai ficar-me gravado. Não há, estou segura, momento tão especial na vida de uma mulher que deseje ser mãe. A antecipação, o desenvolvimento, a expectativa; o sentir-se crescer a nossa cria. O vê-lo pela primeira vez. Ouvir aquele choro, miado ou gritado a plenos pulmões. Sentir que se no-lo tiram, nos arrancam um pedaço de pele. E é sempre assim, a partir do dia em que ele nasce. Para quem o deseje, mesmo tardiamente como me aconteceu, são momentos que nunca se vão apagar.

Daí que 2011 seja um ano especial na minha vida, que irá ficar para sempre na linha da frente, no topo da hierarquia dos anos.

2012 não sei como vai ser. O mundo certamente que girará para o mesmo lado. É um ano par, e o historial da minha vida revela-me que os pares não são famosos, menos ainda os bissextos. No entanto, quero acima de tudo continuar a minha vidinha pacata, feliz como no Ano Velho, junto das pessoas que são as minhas. Haja saúde. E é isso que desejo a quem me ler: saudinha da boa e que façam por serem felizes. Isso, ao contrário do que possa parecer, depende mais de nós do que dos outros.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

E por falar em coisas boas

Ando morta por bimbar umas coisas boas na maquineta, que ultimamente só faz sopas e arrozes brancos a correr. Fosse ela ainda mais completa, de forma a substituir o braço onde anda constantemente pendurado o meu macaquinho.

Sim, sim, pô-lo na espreguiçadeira e coisa e tal. Isso é quando ele não está do contra.

Estava eu para aqui a magicar...

...no meu desconsolo, que aparece sempre que faço uma refeição saudável, e de repente lembro-me que ainda tenho ali no armário um Toblerone daqueles muito grandes *. Esta linda história não vai acabar bem, ainda para mais quando está quase a começar a Oprah...

*único item que sobra daquilo tudo que escrevi há coisa de três dias naquele post ali em baixo.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Saldos

Como conciliar a absoluta falta de roupa no nosso guarda-fatos (e é mesmo verdade, tenho pouquíssima coisa que vestir, visto que agora ando de "uniforme": só posso usar coisas abertas à frente, sob pena de ter de sacar de uma mamoca a qualquer momento e ter de exibir as banhocas da pancita - não, não queremos isso - o que desqualifica liminarmente os meus vestidos e as minhas camisolas e túnicas) com  a intolerância radical à época de saldos?

Eu tento, juro que tento, pois sei o bem que me fazia à carteira comprar qualquer coisita por metade do preço, mas não tenho qualquer espécie de pachorra para roupa aos montes toda desordenada e mal ajarangada e gente histérica às paletes. Não consigo.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Reflexão autodepreciativa/autocomiserativa, nem sei

Eu não queria mesmo cair nesta onda de "ai as comidas de Natal, ai que vou ficar tão gorda", mas a verdade é que ando a ficar assustada com a minha própria capacidade de enfardanço. Nem a amamentação já me serve de desculpa, as pessoas ficam mesmo a olhar, a ver-me comer. E não é bem com admiração ou respeito, é mais com um ar esbugalhado e atónito. It's not a pretty sight, I guess.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Malditos, malvados, malquistos

Rabanadas. Com creme de ovos moles. Mousse de Oreos. Doce de natas com bolacha Maria. Leite-creme. Aletria. Bolo de chocolate.
Malditos Ferrero Rocher, malvados Imperadores, malquistos Toblerone.
E o frigorífico cheio, e o armário recheado, e eu em casa o dia inteiro.

2 meses volvidos

Desde que ela encontrou um novo Sol.

Coitadinho que hoje está tão malzinho de sua barriga... Culpa da mamã e das guloseimas de Natal? :((

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

A sério, juro que não é por ser meu.







E tenho de me dominar para parar por aqui...

sábado, 10 de dezembro de 2011

Estou para aqui a olhar para ele a dormir no meu colo

E não é por ser meu (hum, hum), mas tenho a dizer que o meu filho é definitivamente o ser mais perfeito e lindo alguma vez fabricado. Eu é que não o quero acordar, porque este momento Kodak merecia ser eternizado. E partilhado.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

In the meanwhile...

- Já tenho 35 anos.
- O meu filhote já tem 6 semanas, qualquer coisa como mês e meio.
- Já perdi 15,600 kgs do peso que ganhei na gravidez - e já só falta 1kg400...
- Já terminei as minhas compras de Natal, parcas mas de boa vontade.
- Aprendi que os bigodes estão outra vez na moda. Wtf. Sempre a última a saber.
- Ganhei um vício novo. Pastéis de nata. Não consigo passar um dia sem comer (pelo menos e raramente apenas) um.
- Aprendi que os pastéis de nata congelados do Continente são bons quando saem do forno. Mas mesmo bons, c'um raio.
- Estou actualizadíssima no que respeita às notícias e à actualidade. Às 8 da manhã já estou completamente por dentro.
- Estou também um pouco estupidificada, em virtude de passar mais tempo do que o habitual no quarto, termos colocado lá temporariamente a velhinha tv que estava no escritório, e de lá ter apenas recepção dos 4 canais de televisão pública. Digamos que a Maya, o Jorge Gabriel, a Júlia Pinheiro e o Cláudio Ramos, o Goucha e a Cristina que grita, a Casa dos Segredos e várias outras pérolas fazem agora parte do meu dia - cruzes abrenúncio.
- Acho que as minhas maminhas poderão estar em risco de cair a qualquer momento, à custa do macaquinho que lá anda sempre pendurado.
- Sou mãe. As minhas prioridades alteraram-se incrivelmente. E nunca um cliché me fez tanto sentido e tão pouca impressão ouvir ou dizer.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Não...

Não desapareci do mapa. O meu piqueno é que é muito absorvente... Mas o comeback está para breve. Com fotos e tudo.

sábado, 29 de outubro de 2011

Le petit prince

Nascido no dia 26, grandinho e gordinho como se quer. É o amor da vida de sua mãe, juntamente com seu pai, claro. :) Provoca sorrisos por onde passa, "ooooohhssss" babados, vontade de beijar e uma ternura que não tem par. Um charmoso, este meu filhote.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Eu que queria tanto um filhote Balança...

... só mesmo para tentar assegurar o legado do magnífico feitio de senhor seu pai... eis que oficialmente não me escapo de levar uma cria escorpiniana. Estará, pelo contrário, garantida a herança materna? A obstinação, a voluntariedade, o péssimo acordar, o orgulho por vezes irreflectido, a má disposição que, quando se dá, contamina o ar à sua volta - pobre marido. Apesar de adorar o meu signo e apreciar bastante algumas das suas virtudes, por outro lado acho mesmo que ao pobre marido já lhe chegava uma em casa...

domingo, 23 de outubro de 2011

Ai, Outono

Que saudades eu tinha tuas. Só precisava de ter um (UM) par de sapatos fechados que me servisse. 

Não, ainda não nasceu

Se eu disser que antes de ter o meu filho - que, obviamente, não está nada interessado nos meus argumentos desesperados - ainda tive tempo para agonizar com uma bela otite, será que dá para acreditar?

Sim, já estou devidamente antibiotizada e a coisa está a baixar de intensidade.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Coisas boas de se estar a vegetar em casa

Lembrar-me de repente e, só porque me apetece, fazer um belíssimo affogato al caffè (neste caso, decaffeinato). Ai, soube-me pela vida.
E, a julgar pela movimentação frenética, ao herdeiro também.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Time's up


Ora cá estamos, 40 semanas volvidas, e... filhote continua irredutível dentro da barriga da mãe. Não se pode dizer que não seja uma criança inteligente, tendo em conta a realidade pela qual irá trocar a piscininha climatizada.

Mas enfim, pobre mãe - como se vê pela fotografia acima - está já bastante massacrada pelo peso a mais na parte anterior do tronco, pelo que urge vestir o equipamento e... exercitar. Andar muito, subir escadas, mover mobílias, lavar vidros, whatever works. Tudo para tentar que o pequenote, que no presente pesa já uns belíssimos 3,700 kgs, venha ao mundo sem obrigar pobre mamã a suportar horas intermináveis de parto artificialmente induzido - deadline já no próximo fim de semana.

Energias positivas para este lado, se faz favor.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Não somos analistas políticos, não somos economistas, mas vivemos aqui

Gostei tanto deste post da Ritinha, leiga como eu, mas que vive cá, como eu, e que tem uma posição sobre o assunto que considero bastante justa. Transcrevo:

É triste e revoltante pagar por "crimes" que não se cometeu, é triste ver que estamos a retroceder em vez de avançar, é triste ver que tudo o que se dava como garantido não passava de uma grande fachada. Acredito que os funcionários públicos deste país se estejam hoje a sentir assim. Já fui funcionária pública há 10 anos atrás, hoje não sou. Estou muito pior financeiramente nos dias que correm do que há 10 anos atrás. Trabalho no privado, ganho muito abaixo dos €1000,00, e provavelmente nunca os chegarei a ganhar.

Não posso, mesmo sabendo que muitos/as de vocês vão detestar-me por isso, dizer que não concordo com as medidas tomadas pelo governo. Estamos falidos, precisamos da ajuda externa como de pão para a boca, e se nada for feito será o caos total. A descoberta de sucessivos buracos financeiros, e agora a vergonha "escondida" não pela Madeira, mas pelo Alberto João Jardim- que quanto a mim devia pagar criminalmente pelo que fez e até ter sido proibido de se candidatar- levaram a que todos nós tenhamos de pagar pela constante má gestão dos vários governos, pelos políticos que se limitaram a gastar mais do que o país podia e a saírem impunes dos crimes que cometeram.

CRIMES porque é crime mandar tanta gente para o desemprego, e que não vai ter dinheiro para pagar a casa, a escola dos filhos, caindo numa espiral descendente porque não há oportunidades. CRIME porque todos temos de sentir na nossa vida diária o que é viver com cada vez menos, CRIME porque continuam a haver reformas e ordenados milionários em organismos públicos a passar ao lado dos cortes que estão a ser feitos.

O pior não são os cortes dos subsídios, continuo a dizer, mesmo com cortes, quem ganha mais de €1000,00 mensais, ao ficar sem eles continua a ganhar mais do que qualquer funcionário do lugar onde trabalho, mesmo ganhando o subsídio de natal e férias ( até ver...), são as pessoas que vão ficar desempregadas à conta da crise que as empresas vivem. Ficar sem nada é bem pior do que viver com menos, não nos podemos esquecer disso. Por aqui há lojas e empresas a fechar todos os dias, pessoas que não têm os seus contratos renovados, e isso sim é o pior dos cenários.

O facto é que o sr. Sócrates, aquele que dizia que estava tudo bem, está neste momento a fazer jus ao nome e atirar um curso de filosofia em Paris, que a sra presidente do FMI ganha milhões e ainda tem uma série de prémios à conta do cargo que ocupa, que o Alberto João continua sentado no cadeira do poder na Madeira, que o Isaltino Morais já pensa no jantar que vai dar para comemorar o facto de não ir para a cadeia, etc, etc, etc.

À grande maioria de nós resta apenas fazer contas à vida, e fazer um esforço para manter a esperança e acreditar que um dia voltará a valer a pena viver neste país.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Conclusão

Como os mails e os telefonemas continuam a cair como tordos, acho que mudei apenas o meu local de trabalho. Assim como assim, prefiro fazê-lo desde o meu sofá. E sempre posso dormir um bocadinho mais de manhã.

A [falta de] compreensão alheia

Um comentário da Me a este meu post inspirou-me a contar-vos as reacções dos outros ao facto de ter trabalhado até poucos dias antes da minha data prevista de parto.

Passo os dias a ouvir que já devia estar em casa a descansar, que tenho de pensar no bebé em primeiro lugar, que quando ele nascer vou-me abaixo das canetas porque não descansei antes...

Antes de mais, gostaria de esclarecer uma coisa. Eu até gostava muito de já estar em casa há algum tempo a descansar. Desde que engravidei que durmo muito mal, e a privação de sono, toda a gente sabe, deixa-nos num lindo estado - especialmente quando o nosso trabalho envolve puxar pelo caco o dia todo. No entanto, há um pequeno pormenor...

As pessoas parecem não entender o conceito de sentido de responsabilidade - eu sei que também tenho uma enorme responsabilidade - a maior de todas! - para com o meu bebé, mas ele está óptimo! Grandinho, gordinho, sem pressas, a mexer bem e o dia todo. Não o prejudiquei em nada por ter estado a trabalhar até agora. E seria bem mais fácil para mim se a minha situação fosse como a das pessoas em geral que me dirigem esses comentários. Ou seja, se me bastasse pedir à médica de família uma baixa para vir para casa, a receber grande parte ou o total da minha remuneração, descansadinha que alguém faria o meu trabalho por mim, ou que ele iria lá ficar à minha espera até eu voltar e ninguém me poderia penalizar por isso, se calhar até o faria... "Só" por estar cansada. Muito cansada. Com 16 kgs a mais, com os ossos todos torcidos, cheia de azia, a parecer uma velhota cheia de artrite reumatóide, com os pés e as pernas cheios de edemas.
Ou se calhar não. Porque apesar de tudo isso, estou bem de saúde, e o meu bebé também.

O facto é que, para mim, essa hipótese nem sequer se coloca. Não tenho direito a baixa. Não tenho quem faça o meu trabalho por mim (embora tenha dois colegas que me irão controlar as coisas, graças a Deus). E não tenho qualquer rendimento se não trabalhar. Além de tudo isso, considero-me profissional. Com brio no que faço. Custar-me-ia horrores abandonar tudo a um mês do parto, para poder "apenas" descansar. Por mais que isso me fizesse bem.

E ainda tenho de ouvir aqueles clientes que me perguntam quanto tempo vou ficar de férias... E quando lhes respondo que vou ficar em casa, com o meu filho, até ao fim do ano (a meu próprio prejuízo financeiro, entenda-se bem), ainda levo olhares de lado, como se dois meses fossem assim uma espécie de licença de maternidade exorbitante. Haja estômago.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

@ home

A menos de uma semana da minha data prevista para parto, finalmente bati o pé e estou em casa, a ver se descanso um bocadinho. Resta-me resistir à tentação de ligar para o escritório, de passar por lá só para ver se tenho recados... Porque estou mesmo a precisar de um mínimo de repouso, antes que o piolho venha revolucionar a minha existência. Já disse e repito: subestimei a gravidez. Está claro que não é nenhuma doença, mas nesta fase final, se não se baixar o ritmo, é coisinha para dar cabo da gente.

sábado, 8 de outubro de 2011

Pergunto-me o que irá ser feito deste blog

É humilde, que é; é fracote, que é; às vezes é mais rosa-fútil, outras mais negro, outras ainda cordeburroquandofoge. Mas é meu, e eu gosto dele.

Pergunto-me o que irá ser feito deste blog, se agora já não tenho energia para tratar dele. Se nem energia tenho para ir ver os amigos, primos e conhecidos dele, para lá deixar um olá. O que lhe irá acontecer quando, daqui a [bem] pouco tempo, a minha vida estiver absorvida por outra...

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

One in, one out


Engraçadíssima, corky, naïve, doce, inteligente. Gostei muito do que já vi.


Não consegui. As minhas desculpas, mas ao fim de seis episódios acho uma bela seca.

domingo, 2 de outubro de 2011

Ai que eu hoje mudei de opinião sobre o Ryan Gosling

Ou talvez tenha apenas gostado bastante do Jacob Palmer...

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

My Bimbylicious friends

Sugestões de coisas assim mêmo boas que tenham experimentado recentemente nas vossas Bimbas para um jantar familiar para cinco pessoas? Pode ser prato, entradas, sobremesas... De preferência, que não sejam extremamente trabalhosas para uma pobre grávida de pés de Popota, que não pode passar muito tempo em pé.

* Não-Bimbólicas, também se aceita a vossa contribuição com muito agrado e gratidão, dentro das condições supra mencionadas.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Agora é a doer

Hoje fazemos 37 semanas de gestação. O meu piolho já é bebé de termo - mas ainda assim, espero por ele a partir das 38, ok filhote? Porta-te bem. Esta semana ainda há muito que trabalhar. Para a semana logo se vê.

Diz o médico que ele continua calmeirão, com um peso estimado de 3,222 kgs. Levámos os dois raspanete, porque eu trago em cima o belo total de 16 kgs [!!!] a mais. Portei-me tão bem o raio da gravidez toda (9 kgs em 7-8 meses), e depois das férias de Verão começou este descalabro. Mas nem tudo é banha e celulose, há para aqui muita aguinha a inchar-me os membros e outras partes do corpo também, desconfio. E claro que a mochila frontal também pesa e muito.

De resto, muito cansaço e muitas dores. Lamento informar, mas a fase final da gravidez é mais uma desgraça do que estado de graça. Dói. E maça. É contudo um leve exercício de masoquismo, porque dói e custa, mas gosta-se. Estranhíssimo. Gosta-se e grava-se tudo na memória, mesmo quando há uma articulação qualquer em miniatura a querer furar um quadrante do nosso abdómen. Ou quando tentamos levantar-nos do sofá e a barriga parece que se vai descolar do nosso tronco, ou quando queremos sair do carro e as ancas se desconjuntam. Gosta-se tanto. E tem-se saudades por antecipação, por mais que se deseje cheirar a curvinha deliciosa daquele pescocinho que fizemos com todo o amor, e ainda tão pouca consciência do que era este amor. Um amor deste tamanho.

Foram 37 semanas deste estado. Espero vivê-lo pelo menos mais uma. E depois ter-te comigo por uma infinidade delas.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Um pedido de ajuda como já vem sendo hábito

Um dia hei-de deixar de ser info-excluída ou preguiçosa mental, prometo.

Se nas definições de comentários tenho inserido um endereço de correio electrónico para envio de notificação quando existem comentários novos, por que raios é que agora - desde há umas semanitas - não recebo nenhuma? E depois venho ao blog, inicio sessão e tenho lá comentários para moderar? Ahn?

Está algo a escapar-me? É que, as far as I know, ainda sei ler e não vejo outra opção que não a que enuncio acima para que active a recepção de notificações por mail de comentários novos. Há algo que eu esteja a fazer de errado, ou que não esteja a fazer mas devia? Obrigada desde já.

Insomnia

São 7h da manhã e já estou a pé há duas horas, não por opção. Fiz catching-up na blogosfera. Tive uma ideia para um post, mas depois de me perder a ler ali umas coisas... foi-se. Neurónios em estado subnutrido depois de 5 horas de sono com intervalo às 2 da manhã.

Espera-se dia de trabalho cheio de agilidade mental.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O meu presente de ontem

Foi dado e recebido. Um abraço grátis, oferecido por uma desconhecida [minha senhora, não quer um abraço? É grátis!] e retribuído por mim com um sorriso de quem achou piada àquela miúda pequenita e regateira.

Algo arraçado disto, mas em muito menor escala:

terça-feira, 20 de setembro de 2011

New shows



Enquanto não retomo os do costume.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Bad movie weekend




Numa tentativa (gorada) de passar o fim de semana a rir. Bom, o The Change-Up e o Friends With Benefits escapam na categoria comédia romântica, mas à rasquinha. Os outros dois... meeeeeeehhhhhhh.

sábado, 17 de setembro de 2011

Carta do Hospital cá do sítio...

... a marcar consulta do 3º trimestre. Como atingi as 35 semanas de gestação, passo a fazer uma consulta semanal, a partir normalmente das 36-37, para verificação das condições, vigilância da situação, CTG ou cardiotocógrafos para controlo das contracções. Então a data da minha primeira consulta é... drum roll... terça-feira, 8 de Novembro de 2011. E eu que julgava que o meu bebé nascia em Outubro! Anda uma pessoa enganadinha.

Oh

Há dias morreu o Spartacus e eu não sabia. Linfoma non-Hodgkin. Que praga aí anda.

Muita pena. Passei o mês de Agosto a ver a série e pronto, uma pessoa habitua-se.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Ah, e outra coisa que não tem nada a ver

Ontem à noite estava a ver as senhoras do The View na Oprah e fiquei deliciada com a argúcia, a clareza mental e a rapidez de raciocínio desta senhora de 81 anos, Barbara Walters. Uma senhora, indeed.

Já toda a gente deve ter falado sobre isto, mas eu ando sempre atrasada

Eu que até nem leio muitas revistas e coisas e depois ando sempre desactualizada nas informações do social e cor de rosa... estive a ver as fotinhas do casamento da Sofia Ribeiro lá com o rapaz dela. Serei só eu a única alminha a achar que aquele vestido era algo estranho e aquela parte de cima lhe assentava mal que eu sei lá e parecia que lhe ia cair-cair a qualquer momento? E serei eu a única iluminada a achar que ela ficava bem melhor assim como era antigamente, antes do que me parecem vários retoques - ainda que um par deles bastante óbvios?

A língua bífida hoje não me cabe na boca, desculpem lá.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Diz que é uma espécie de "before & after"

Ok. Lembram-se de eu ter dito que agora luzia (como dizem as espanholas) umas belas patitas de popota em vez dos meus super elegantes pezinhos? Ora bem, para provar que não sou uma mentirosa, e que SIM, o meu peso já é de tal forma substancial que causa a sua mossa, ficam as evidências.
Não se deixem levar pela diferença de glamour entre as imagens. É propositado.

No dia do meu casamento (obviamente que, sendo todos pezinhos elegantérrimos, os meus são os da noiva):



Os actuais chispes, como tão generosamente os qualificou a Julie.

Acabadinhos de descalçar após belo dia de calor. Marcas de sandálias e tudo. Bonitos, hum?

Ainda consigo ficar...

... surpreendida/confusa/deliciada quando, estando em casa, ouço vindos da rua os sons de cascos de cavalo em trote, os sininhos das cabritas que pastam por ali, ou ao ir trabalhar passo por manadas de vacas deitadas na erva do lado de lá da via rápida. Sim, eu moro na cidade!

Nota 1: Mas evidentemente não no CENTRO da cidade.

Nota 2: Uma cidade com um belíssimo meio rural ao redor, é verdade... mas ainda assim, bastante "à frente".

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Loviukids


Esta loja pertence a uma grande, grande, grande amiga minha e tenho mesmo de a recomendar vivamente. Não só por ser da minha amiga, mas também e acima de tudo pela qualidade e originalidade de tudo quanto lá se encontra. Só coisas giríssimas para os nossos bebés e filhotes até aos 6 anos, em termos de roupinhas e acessórios de puericultura, e brinquedos exclusivos e feitos à mão - só existe um exemplar de cada um deles, o produtor nunca repete o mesmo modelo, material ou design. Vale mesmo a pena a visita, garanto eu. :)

No Porto, na Rua Miguel Bombarda. No blog da loja encontram mais informações.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

35 weeks

Momento piegas do dia. Hoje completámos as 35 semanas, muito felizes, gordinhos, serenos e tranquilos. Aqui o piolho já não é assim tão piolho, visto que já entrou quase na casa dos 3 kgs. Já falta tão pouco... Entre duas a cinco semanas para o poder abraçar. Espero eu... *aguenta-te aí piolho, só mais este bocadinho, sim?*

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Constatação desta manhã no.2

Odeio aquela (esta) altura do ano, em que o tom dourado da pele se volta a transformar em flocos de palidez, por mais hidratação que se faça e cuidados que se tenha. Ora bolas.

Constatação desta manhã no.1

É chegada a hora em que a tarefa mais árdua e fisicamente exigente do dia é apertar a fivela das sandálias. No entanto, com algum engenho e muito contorcionismo, nada é impossível. Viva os anos de ioga que precedem!

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Se há coisa que me sabe pela vida...


...são as maçãs desta altura do ano, as chamadas "maçãs novas". Principalmente as Golden. Como aos quilos, se me deixarem.

Durante o resto do ano, só me voltam a abrir o apetite na altura em que aparecem as Bravo de Esmolfe. Caso contrário, ao longe com elas...

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Google sempre em alta

Com uma merecida homenagem aos 65 anos que Freddie Mercury teria completado hoje caso fosse vivo, e a música dos Queen que me põe sempre aos pinotes e a abanar a cabeleira esteja de neura ou não.


Tonight I'm gonna have myself a real good time
I feel alive and the world is turning inside out yeah
I'm floating around in ecstasy
So don't stop me now don't stop me
'Cause I'm having a good time having a good time


I'm a shooting star leaping through the sky
Like a tiger defying the laws of gravity
I'm a racing car passing by like Lady Godiva
I'm gonna go go go
There's no stopping me


I'm burning through the sky yeah
Two hundred degrees
That's why they call me Mister Fahrenheit
I'm travellling at the speed of light
I wanna make a supersonic man out of you


Don't stop me now I'm having such a good time
I'm having a ball
Don't stop me now
If you wanna have a good time just give me a call
Don't stop me now ('Cause I'm having a good time)
Don't stop me now (Yes I'm having a good time)
I don't want to stop at all


I'm a rocket ship on my way to Mars
On a collision course
I am a satellite I'm out of control
I am a sex machine ready to reload
Like an atom bomb about to
Oh oh oh oh oh explode


I'm burning through the skies yeah
Two hundred degrees
That's why they call me Mister Fahrenheit
I'm travellling at the speed of light
I wanna make a supersonic woman of you


Don't stop me don't stop me don't stop me
Hey hey hey!
Don't stop me don't stop me
Ooh ooh ooh (I like it)
Don't stop me have a good time good time
Don't stop me don't stop me
Ooh ooh Alright


I'm burning through the skies yeah
Two hundred degrees
That's why they call me Mister Fahrenheit
I'm trav'ling at the speed of light
I wanna make a supersonic woman of you

Don't stop me now I'm having such a good time
I'm having a ball
Don't stop me now
If you wanna have a good time
Just give me a call
Don't stop me now ('Cause I'm having a good time)
Don't stop me now (Yes I'm having a good time)
I don't wanna stop at all

Um mimito

A Manuela ofereceu e, como tal, eu partilho-o com quem vier cá ao estaminé. Confesso que não sou muito ligada a selos e afins, mas a Manuela é tão querida e atenciosa! Este miminho é muito,  muito agradecido e apreciado. :)

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Por isso é que eu nunca serei rica nesta profissão

Ou vá, por estas e por outras.

Só digo que muito dificilmente recorreria de uma sentença caso soubesse de antemão não ter fundamento jurídico, razão ou sequer condições de viabilidade da pretensão, mesmo sabendo que o meu cliente apenas quer fazer "a vida negra" à parte contrária. Há certas figuras que me recusaria a fazer, mesmo que isso significasse menos uns (muitos, se calhar) euros na carteira.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

E eis que entrou Setembro...

September is the new January.

Always has been, for me at least.

Praying for a Happy New Year...

Nova aquisição

Patinhas de Popota. Em vez dos meus lindos e elegantes pezinhos. Enganei-vos, não foi, malta?

Não tiro fotografia porque não quero espantar nenhum dos meus pobres 145 seguidores.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Ora as férias, as férias...

... foram setenta por cento daquilo que eu precisava.

Houve preguiça, houve três horinhas de praia por dia - repartidas entre manhã e tarde -, o suficiente para me deixar menos big white whale e mais lontrinha dourada, houve muita lavagem e passagem a ferro de minúsculas pecinhas de roupa, o suficiente para me deixar as costas num oito em apenas um dia, houve muito peixinho fresco e algum marisco, houve muita brincadeira com o lambuzador oficial de pessoas que habita com os meus pais, houve excelentes momentos de convívio, e houve alguma percentagem de desligamento do mundo profissional.

Houve lágrimas sufocadas e vertidas, e houve a (re-)confirmação de que às vezes, por mais que amemos uma pessoa, isso não é suficiente para que a nossa vivência em comum seja harmoniosa.

Houve Kompensan. Muito.
Não houve quase leitura nenhuma - decididamente não ando para aí virada e mantenho o mesmo cadastro vergonhoso de livros por terminar; só me entusiasmei com o livro sobre amamentação, muito bom - , não houve caminhadas nenhumas na orla do mar e já agora nem exercício de qualquer forma ou feitio. A parte positiva é que também não houve muitos gelados. Mas, já que me torcem o braço, brutos pá, a ser verdadeira, houve pampilhos, houve amêijoas à Bulhão Pato, houve muito leitinho com Ovomaltine, muito pãozinho, queijinho e salmão fumado, muita batata frita, alguns refrigerantes. Afinal, estava de férias...

Para fim de conversa, o saldo são 3 kgs a mais em relação ao mês passado. Em minha defesa, só este texuguinho adorado que aqui habita aumentou 1,250 kgs, pelo que o aspecto insuflado do meu rabo e das minhas coxas não passa de... mera ilusão óptica?

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

I'm...

... baaaaaaaaack....

Later!


domingo, 21 de agosto de 2011

Uma pausa na pausa

Para divulgar este site. Para quem ande à procura de um amiguito de quatro patas para lhe fazer companhia.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

And... we're off!

De partida para o sítio do costume, lugar familiar, onde já nos esperam os meus. Os nossos. Para fazer muito disto

espero que muito disto
e, com alguma sorte, um pouco disto também.
Ler muito, lavar, passar e embalar mini-roupinhas para arrumar no regresso a casa, comer peixinho e marisco frescos, brincar com o meu babão de quatro patas, agora nunca estou com ele e preciso de matar saudades, dar caminhadas na orla do mar, comer gelados, rever amigas e amigos, desligar do frenesim. Grandes planos. Pensei que nunca mais chegava o dia.
Até ao meu regresso, se não nos virmos antes.

Os meus companheirinhos estas férias

 O livro técnico do momento.
 Comecei, mas não terminei. *Shame...*
 Comecei, mas não terminei. *on...*
Comecei, mas não terminei. *...me*
Missão: recomeçar e terminar os livros já encetados. Se há coisa que detesto é uma tarefa inacabada.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Movie of the day

Fui ver. Marido grande fã de BD, especialmente Marvel (nerdy hubby, love him dearly). Surpreendentemente, gostei. Sim, all-American type of thing, super-heróis e tal, música épica em crescendo nos momentos chave, coisas incríveis a acontecer a cada 30 segundos - mas a verdade é que gostei. Foi mesmo divertido.

My fellow cat owners

A minha gata já aderiu às águas com sabores. E os vossos?

A sério. Sempre que tenho algo dentro da pia da cozinha, por exemplo, uma tigela que vou lavar daí a pouco,e onde ponho alguma água para amolecer os resíduos, lá vai ela beber a água. A bicha está completamente viciada em estar constantemente dentro da pia da cozinha, e farta-se de lamber a água que por lá apanha, de preferência em loiça por lavar.

Será um comportamento normal? Não me parece, o vício é recente. Será que ela tem "nojo" de partilhar a água com o Sushi? Não percebo, mas não gosto deste comportamento dela.

domingo, 14 de agosto de 2011

Quanto mais perto se está, mais custa a lá chegar

Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira. Terça-feira.


quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Sabemos que precisamos de parar de asneirar...

... quando, além do senhor dos CTT, ouvimos de outra pessoa no mesmo dia "Êba, cê tá REDONDA! É que nem é só barriguinha, é por todo lado mesmo! Minha filha, vem ver ela aqui, cê lembra quando cê tava grávida que era só barriguinha? Olha aqui ela tá REDONDA!".

*fumo a sair pelas minhas orelhas*

É por essas e por outras que nem me tenho aproximado da balança.

Atendimento prioritário

O atendimento prioritário nos vários locais públicos é uma bela treta e há-de dar um post com selo de qualidade, quando eu tiver um bocadinho mais de tempo.

Por enquanto, apenas comento o dos CTT. Antes de mais, convém esclarecer que nas maquininhas de tirar senhas dos CTT diz claramente "atendimento prioritário nos termos do art..." não sei das quantas, não fixei, suponho que do DL 135/99. No entanto, não existem senhas próprias para o atendimento prioritário.
Ontem ditou o acaso que fosse duas vezes aos CTT, a duas estações diferentes. Na primeira, e como já estou "queimada" nestas coisas, deixei-me estar quietinha com a minha senha na mão (afinal não havia assim tanta gente para atender), mas bem visível aos funcionários no atendimento. Passado um minutinho, um senhor desata a fazer-me sinalefas "venha, venha, a senhora tem prioridade, é já atendida", e acto contínuo entra um senhor de muletas que é imediatamente chamado para ser atendido a seguir a mim.
Na segunda, na Loja do Cidadão, com 25 pessoas à minha frente, tentei usar da mesma estratégia. Toda contente, vi um dos funcionários a olhar para mim e pensei "boa, a seguir vai chamar-me". E chamou, com o dedo no botão, 25 senhas depois. Eu, que estava zen e tranquila como [agora] tento, estive na converseta com ele enquanto me atendeu, mas no fim perguntei "olhe, aqui na Loja do Cidadão fazem atendimento prioritário? É que diz ali na maquininha...". Resposta "sim, mas a senhora não requisitou". E eu "?". E ele "sim sim, a senhora tem de tirar a senha da sua vez e depois dirigir-se ao balcão a dizer que pretende o atendimento prioritário".*
E agora? A lei não especifica propriamente se tem de ser o utente/interessado a solicitar o atendimento com preferência, ou se são os serviços quem o tem de prestar, independentemente de solicitação. Se na mesma casa não há quem se entenda, ou pelo menos passam mixed signals, quem há-de saber do lado de cá?...

*esta conversa termina assim: "Mas sabe, os senhores podiam ter alguma atenção e chamar, porque há sempre pessoas que não gostam e reclamam connosco. Como é uma obrigação vossa dar prioridade no atendimento..." "COM ESSA BARRIGA?!?! Não se preocupe, ninguém vai estranhar."

Antes de sair de casa...

... fui despedir-me dos meus gatos - sim, eu faço isso - e o cenário com que me deparei foi: uma gata a dormir na fruteira (vazia, vá lá), um gato a dormir no cesto da roupa dobradinha para passar. Não hei-de eu ter pêlo por todos os cantos da casa.

Depois...

... de um balde de salada e um delicioso refresco de groselha, eis que estou prontinha para uma bela de uma sesta.


Na verdade, tenho uma tarde de trabalho e uma secretária selvaticamente desarrumada pela frente, mas ainda não se paga imposto por sonhar.


quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Senhores da Go Natural

Eu sei que os senhores só franchisam para o estrangeiro, e acho uma pena, pois que já estava a pensar em aplicar todas as minhas forças a fazer campanha para que um conterrâneo qualquer meu se candidatasse a uma lojinha vossa.

Posta essa impossibilidade, para quando uma loja em Braga? Não fazem os senhores ideia do quão me faz falta a vossa companhia cá no burgo. Já não se pode com a (falta de) qualidade de Vitaminas e congéneres, qual das congéneres a imitação mais rascúnfia. O atendimento anda pelas horas da morte, o camarão é racionado como se os bichinhos estivessem em vias de extinção, o salmão fumado é do barrrrrrrrato, barrrrrrratinho, os sumos naturais cada vez me parecem menos naturais e mais adoçados artificialmente, as alfaces todas velhas e carcomidas, the list is endless. E lamento muito a minha voz crítica, mas quem anda à chuva molha-se, e o comércio é mesmo assim - há quem vá ser bem atendido, e mal atendido, há quem vá gostar do serviço e há quem não vá gostar. E acontece invariavelmente a quem até começa bem, mas quando a novidade passa, se começa a dormir na forma.

Senhores da Go Natural, escutem o meu apelo. Só os senhores até hoje não me desiludiram, até ao meu M. conquistaram, ainda que não tanto pelas opções saudáveis como pelos vossos brownies. Pliiiiiiiize. Venham. Pliiiiiiiize.

Eu que gostava tanto do meu Budita a piscar o olho...

... tive de o mudar, porque - VÁ-SE LÁ SABER POR QUÊ, já desisti de perceber qualquer coisa relacionada com o blogger, não tenho tempo para isto e já estive mais longe de contactar os senhores do sapo - não consigo pôr aplicações de lado e ficava uma faixa preta muito grande (mariquices minhas). Este tema também tem a ver comigo, já que adoro a Cidade Luz.

Ah! E graças à minha querida Susana, penso que o problema ficou resolvido... Tentem lá nos vossos Chrome, FF, ..., deixar comentário (quando vou aprouver, claro!).

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Eu até nem tenho nada contra...

... a senhora, nem contra a música, nem contra a poesia em geral, pelo contrário. Até engraço. Mas gostava de saber que coisa ela estaria a fumar pensar quando escreveu "eu não volto a jogar à cabra cega com usted".

Terá sido...

... o leite achocolatado que bebi por cima daquele pêssego que me deixou assim mal disposta? Hummmm.

Depois disto tudo...

... e que ainda não acabou propriamente...
Só tenho uma coisa a acrescentar: viva a Macintosh.

Alto!

Graças à Susana, que plantou no meu pequeno cérebro a semente da desconfiança (já te mando mensagem), descubro agora que através do Firefox tenho aquele problema, mas através do Internet Explorer consigo comentar, etc.

Só me resta saber por quê, e o que raio aconteceu no Firefox.

Desisto

Não consigo perceber por que é que nem eu própria consigo comentar as minhas mensagens. Já dei voltas e voltas às definições, já alterei, já voltei atrás, já não sei para onde me hei-de virar mais. Pior, isto ficou assim sem eu ter feito nada. Faz-me pensar se andará por aí mão alheia (ou sou eu que sou paranóica).

Em desespero de causa, ajudem-me se souberem... Tem é de ser por mail, duvido que consigam comentar aqui. Perfil lá no fundo da página.

What the hell...

Não sei que raio se passa com este blog, mas algo se passa de certeza. A configuração da página toda trocada, não consigo clicar em comentar, já recebi feedback de outras pessoas que não conseguem comentar... E eu não mexi em rigorosamente nada!

Algum/a blogger mais experiente tem alguma ideia? Entretanto, vou à descoberta, ver se a coisa se compõe...

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Desejos de grávida

Honestamente, acredito que são um mito. Ao longo destes 7 meses quase completos, nunca tive um desejo de algo muito específico, muito menos de algo estranho. Apeteceu-me sushi, que me fui tentando conter de comer por precaução de possíveis intoxicações alimentares, apeteceu-me marisco, pelas mesmíssimas razões, apeteceu-me feijão, apeteceu-me pizza, apeteceu-me doce em algumas fases e salgado noutras. Tudo normal. Já me acontecia antes de ter engravidado.

Bom, não estou a ser totalmente sincera. Há uma coisa que me apetece bastante desde que começou o calor - embora não qualifique esse apetite como desejo de grávida. Mais talvez um apetite que tenho porque sei que é um no-no. Às tantas se fosse perfeitamente livre de consumir, não era tão forte esta vontade. Mas não sei. Ainda para mais com este calor. Com os petiscos. Com os convívios.




Nem quero saber se pareço alcoólatra, nem se é politicamente incorrecto dizê-lo. Não se pode, não se faz. Mas se me apetece?... ... ... ...

Possuída que estou

Crente como sempre, achava eu que trabalhar durante o mês de Agosto me ia garantir um lugarzito de estacionamento aqui pertinho do workplace. Convém esclarecer que eu trabalho no centro do centro da minha cidade, daí todos os dias ser uma maratona para encontrar um lugar de estacionamento - não pago, que eu abomino parques e suas amigas avenças, o meu dinheiro custa-me a ganhar e esvai-se-me entre os dedos - que não implique andar mais de um km. Ainda para mais agora, com esta "mala" que carrego na dianteira.

Sucede porém que, como sempre, me encontrava redondamente enganada. Ainda tem sido pior esta minha saga diária. A culpa é dos visitantes. Além de me usurparem todos os lugares não pagos, bons, próximos e semi-próximos com os seus dísticos F, L, CH e outros que tais, ainda têm o desplante de percorrer a cidade com um vagar estonteantemente impossível, sempre situado entre os 20 e os 40 kms/h. Excepto quando a noite cai e eles se transfiguram em seres supersónicos, que nos abanam quando passam com seus motores superpotentes.
Haja paciência, haja, amém.

Invenções do demo I

Em chocolate já é tão bom... Em gelado é mil vezes melhor. Eu NÃO POSSO comer estas coisas, raios!!! Sopinha-frutinha-sopinha-frutinha-sopinha-frutinha, repete 100 vezes até encaixares!

A culpa é toda do Continente e das malditas promoções que fazem.


domingo, 7 de agosto de 2011

Filme de hoje







Escolha do M.. Eu não tinha qualquer expectativa, nem sequer o trailer tinha visto. Fartei-me de rir. Um Kevin Spacey do melhor (como sempre), um Colin Farrell irreconhecível, uma Jen Aniston a não saber envelhecer muito bem (too much botox or whatever), um Jason Bateman igual a si mesmo - I just love him. Jason Sudeikis e Charlie Day muito bem também. Overall, muito divertido.