quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Mudar de vida?

No Cocó na Fralda li este texto. Esta temática tem andado muito presente na minha vida...

No meu trabalho actual debato-me diariamente com vários sentimentos contraditórios. Se, por um lado, escolhi esta profissão porque me senti atraída por ela, porque acho que tenho capacidade para a exercer e porque gosto dela na sua essência, por outro tem-me sido difícil conviver com vários aspectos dela. Os dois piores têm sido o stress que ela me gera no dia-a-dia, e o facto de ainda não conseguir retirar dela um rendimento estável e confortável.

Por isso, muitas vezes devaneio para mim mesma, e com as minhas pessoas, sobre mudar de vida, sobre tanta coisa que me daria prazer fazer nesta vida (e neste momento falo apenas de trabalho) e que me retiraria algumas das preocupações que recorrentemente sinto. Adoraria explorar um turismo rural, como diz a SMS, ou simplesmente ter um negociozinho meu, que me permitisse viver com menos constrangimentos, e sobretudo com mais liberdade de espírito.

No entanto, creio que temos de ter os nossos timings correctos para tudo. Se calhar, e apesar das oportunidades que vão surgindo, que vão chamando por mim e me deixam cheia de vontade, acabo por ser obrigada a pensar que o momento não é o certo para mim. Seja (na maior medida) porque a vida presente não me deixa aventurar, seja (em menor, mais ainda assim, em alguma medida) porque a cabeça não está no lugar certo em termos energéticos.

Mas recuso-me a capitular, e acredito profundamente que essa mudança de vida se vai dar para mim - no momento que for absolutamente perfeito para isso. Isto porque, como diz alguém que me é muito, muito caro, temos de fazer o que manda o nosso coração. E, em vez de criar angústias sobre angústias, temos de aprender a ouvir a vida, que invariavelmente nos dá respostas quando estamos a olhar para o lado. E ela há-de falar comigo no momento certo, a vida.

Entretanto, é lutar com força e com toda a energia para viver o presente da maneira mais positiva possível (the only possible way), e para podermos encontrar esse momento perfeito daqui a algum tempo.

7 comentários:

Sofia disse...

É a maneira certa...aproveitar o presente, mas sem nos acomodarmos:)
E é tão difícil!
beijinhos

Nokas disse...

Oh querida Queen, como tu me compreendes...Estou a passar pelo mesmo dilema, não sei bem o que fazer e por vezes sinto-me completamente perdida.
Resta-nos esperar por melhores dias :)

Rita G. disse...

Identifiquei-me muito com este teu texto. Penso tantas vezes em mudar de vida, em arriscar, mas depois desço à terra, vejo que tenho uma filha para sustentar, despesas ao fim do mês e opto pela segurança que, por enquanto, ainda tenho no meu trabalho. Mas não deixo de lutar por algo melhor, por procurar outras coisas que me façam feliz:)Como dizes, esperemos que a vida nos dê um presente quando menos esperarmos. bj!

Tânia (Mamã do Santiago) disse...

Eu tenho, quero e vou, mudar tb a minha situação profissional e tal como tu tb acredito que o momento certo vai chegar :D

alex disse...

O texto da SMS é inspirador e provoca sentimentos, que nos levam a reflectir, ponderar, o que é bom só por si... mesmo que não se mude, pensar no assunto faz bem. Eu sou grande apologista da mudança, da inovação e procuro sempre coisas novas, mas como actualmente o meu trabalho me permite essa realização profissional, não pondero uma mudança radical. Claro que, depois, há dias em que apetece mandar tudo para o inferno (nomeadamente os chefes)

bjo

Isaal disse...

Realmente este texto assenta-me que nem uma luva.

Neste momento tenho 2 trabalhos, o principal em que trabalho num escritório de contabilidade, do qual estou fartinha até á ponta dos cabelos... e o de agente Bimby, que me preenche por completo, por muitos motivos, (um deles e de ter a oportunidade de conhecer pessoas fantásticas, como a Sara), no entanto, não posso largar o primeiro, pois é donde vem a maioria da entrada de dinheiro aqui em casa, se pudesse já o tinha feito!!! Mas tento encontrar o equilibrio entre os 2 trabalhos, pois se algum dia me chatear de vez e a corda rebentar tenho sempre onde me agarrar, e isso penso que é o ideal, não estarmos limitadas só a uma actividade!!! E assim termino porque o texto já vai longo, bj.

Miss Star Pink disse...

Uma coisa é certa, eu vou ter que mudar de vida! Uma imposição e não um desejo. Mas quem disse que viver era fácil?

Beijinho