sexta-feira, 11 de março de 2011

Elaborando um pouco mais

Na sequência do comentário da Ritinha, queria explicar-me melhor:
Quando digo que prefiro estar preparada para o que o futuro me reservar, refiro-me também, mas não exclusivamente, a estas catástrofes naturais. Obviamente que é praticamente impossível prevê-las com a antecedência necessária para poder existir uma série de cuidados adequados.

É que, no meu ponto de vista, estas manifestações da natureza fazem parte de uma restruturação bem mais abrangente e bem mais profunda, que essa sim, pode bem fazer parte do meu futuro. São não mais do que uma forma de as energias se realinharem, voltarem aos devidos lugares. Porque este mundo está fora de controlo.

Fatalismo? Talvez. Não é fácil explicar este ponto de vista. O que eu sei é que o mundo, pelas mãos do Homem, dos homens que o comandam, segue para uma via de auto-destruição. Conflitos, jogadas de controlo económico/político/étnico (independentemente dos danos colaterais, traduzidos em vidas, que isso possa significar), fossos cada vez maiores entre os estupidamente ricos e aqueles que não têm o mínimo para se alimentarem. E acho que a natureza, o universo, o cosmos, o que vocês quiserem, se estão a ocupar de destruir aos poucos este status quo, para que eventualmente as energias se recoloquem nos seus devidos lugares. Para que possamos regressar a uma posição de humildade, sem megalomanias, dando valor ao que é essencial.
E não acredito, como é óbvio, num judgement day, no fim do mundo como aparece retratado nos filmes, mas acredito sim que, aos poucos, tragédia atrás de tragédia, guerra atrás de guerra, casualidades atrás de casualidades, o mundo como nós o conhecemos se prepara para terminar. E para isso eu quero estar preparada.

São pontos de vista. Olhem, internem-me. :)))

2 comentários:

Catiluva disse...

Concordo plenamente!

siceramente disse...

Não acho, cada vez mais existe uma visão geral de que precisamos de um mundo melhor e estamos a caminhar no melhor sentido.
Catástrofes naturais sempre existirão e sempre existirão, hoje em dia o homem está melhor preparado.