segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Possuída que estou

Crente como sempre, achava eu que trabalhar durante o mês de Agosto me ia garantir um lugarzito de estacionamento aqui pertinho do workplace. Convém esclarecer que eu trabalho no centro do centro da minha cidade, daí todos os dias ser uma maratona para encontrar um lugar de estacionamento - não pago, que eu abomino parques e suas amigas avenças, o meu dinheiro custa-me a ganhar e esvai-se-me entre os dedos - que não implique andar mais de um km. Ainda para mais agora, com esta "mala" que carrego na dianteira.

Sucede porém que, como sempre, me encontrava redondamente enganada. Ainda tem sido pior esta minha saga diária. A culpa é dos visitantes. Além de me usurparem todos os lugares não pagos, bons, próximos e semi-próximos com os seus dísticos F, L, CH e outros que tais, ainda têm o desplante de percorrer a cidade com um vagar estonteantemente impossível, sempre situado entre os 20 e os 40 kms/h. Excepto quando a noite cai e eles se transfiguram em seres supersónicos, que nos abanam quando passam com seus motores superpotentes.
Haja paciência, haja, amém.

3 comentários:

Manuela disse...

Querida QH, é mau não teres estacionamento em Agosto, que é!! Mas aproveita muito, o trabalhares no mês de Agosto, que daqui a 6 anos, não o farás durante loooongos anos! ;)

Julie D´aiglemont disse...

Na 2ª Feira passada também cheguei ao escritório a achar que iria arranjar facilmente um lugar em frente ao prédio. Mas não! Não sei porquê, já que ali não é um lugar turístico... Felizmente, tenho o meu "piqueno" Smart, que cabe em qualquer buraquito, eheheh

Queen of Hearts disse...

Manuela, bem verdade! ;)

Julie, ainda assim, que saudades do meu Smart (se bem que apenas no aspecto do estacionamento)! Desde que o trocámos pela actual banheira, a minha vida ainda se tornou mais complicada :)