quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Mas depois...

... ele dá-me um sorriso de língua de fora, uma gargalhada mal amanhada e agarra na minha mão, e eu derreto-me numa poça de amor.

2 comentários:

Vee disse...

Mãe sofre, mas vale a pena.
E eles só são pequeninos uma vez. Eu confesso que deposito uma grande esperança em ter um tempo mais calmo quando ela se começar a entreter sozinha.

Nokas disse...

Que lindinho :)