sexta-feira, 29 de junho de 2012

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Socorro

De todas as criaturinhas de Deus feias, rastejantes e que tais que me metem medo nojo, a bicha-cadela é capaz de ser das que me metem mais cagunfos impressão. E esta semana já me cruzei com duas lá em casa.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Zombie, eu?

O pequeno, para comemorar os oito meses e o facto de já se estar a tornar um homenzinho, decidiu que a noite é para os fraquinhos. Vai daí, acordou de hora em hora, exceptuando um pequeno intervalo ali entre as 4 e as 5 da matina.

Por isso, senhoras e senhores, o tom esverdeado da minha pele, a roupa mal ajarangada, o andar arrastado, a fala entaramelada e os olhos mortiços não querem dizer nada. Não se ponham já com ideias de me andarem a apontar armas de fogo e outras coisas perigosas à carola.

Heartbreak of the year

Já não haver um único bilhete para os Ornatos no Coliseu do Porto - nem a 30 nem a 31 de Outubro. E pelos vistos já há muito que esgotaram. Porra, uma pessoa anda completamente fora de circulação, tem uma notícia destas (de que vai haver concertos dos bons), pensa numa pequena indulgência nada habitual nos dias que correm, e pimba. Fica mas é em casinha que só te faz bem, toma.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Ah, é verdade

Esqueci-me de contar que encontrei quatro dos quilos que perdi depois de ter o meu filho. Ufa, ainda bem, estava a ser um drama. Os coitadinhos andaram aí ao deus-dará sabe-se lá quanto tempo e em que condições.

Status Update - 8 meses



Aos 8 meses estou um homenzinho crescido, a meio caminho entre o meio metro e o metro inteiro.
Sou brutinho como as casas. Não tenho qualquer laivo de delicadeza, deixo isso para as meninas. A minha onda é mais dar sapatadas e cabeçadas às pessoas, gosto muito.
Mas tenho um lado meloso: sou muito risonho, muito extrovertido e vou ao colinho a toda a gente. Beijinhos, gosto muito dos recebidos; dados, só babados.
Sei dizer adeus e dar palminhas, mas só faço o que quero e quando quero.
Gosto muito de comidinha, especialmente do que é doce, como os meus pais. Mas não troco a maminha da mãe por nada. Ela fica feliz, embora eu ainda acorde algumas vezes por noite e ela não descanse bem.
De entre os monossílabos e os polissílabos que eu digo, não se percebe patavina. A mãe diz que a minha primeira palavra vai ser "batata-frita", nada de mamã ou papá. Tenho uma alcunha para a mãe. Quando estou cheio de mimo ou quero maminha, chamo-lhe "nanã" e ela sabe que é para ela. Ela adora.
Já não gosto que me prendam a lado nenhum. Só gosto de me pôr de gatas ou de pé, agarrado às coisas. Andar ainda não sei, só se me levarem pelas mãos, mas ainda sou muito patarata. No entanto, sou um durão e só ando de um lado para o outro como na tropa: a rastejar. Quando estou de gatas e tenho de me mexer, desço ao andar de baixo e vou de barriga colada ao chão.
Sabem?... Sou um bebé feliz.

Edit: Uff. Este post era para ter foto desde o início. Não percebi a resistência do blogger.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

O Tico está a dormir...

... para recuperar das noites em claro, e o Teco está com uma sobrecarga no sistema, porque está sozinho e a panicar com a montanha de papelada que se encontra em cima da secretária e que vislumbra através do canto do olho da sua anfitriã. Estão os dois ocupados, portanto.
DONDE,
sem qualquer protecção por parte destes dois, o vácuo que é o restante tecido encefálico esteja a ser impiedosamente invadido por uma involuntária imagem. Pastéis de nata. Pastéis de nata. Pastéis de nata.