quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Comparações

O comentário a este post, que por sua vez se transforma num:
Odeio. Odeio. Odeio. Vão lá comparar para o caracinhas. Inicialmente, eu ficava tristonha ou preocupada quando me diziam determinadas coisas, agora é mesmo para o caracinhas. A saber:
  • Andou tarde (segundo os experts que opinavam sobre o assunto; na realidade, começou a procurar andar sozinho aos 13 meses)
  • Vai falar tarde [aos 16 meses é só árabe, mandarim ou klingon, ainda não percebi muito bem, interrompido por uns "táqui", "tou" (xau), "qué qué qué quééééééé" (quero), e em desespero de causa "mã", quando eu não respondo aos outros monossílabos que ele usa para chamar por mim. Já não diz olá, quem é?, e outras coisas que já lhe ouvimos. E a última moda é "oh, nãããão", que lá ouviu nalgum desenho animado. Só diz o que quer e lhe apetece.]
  • Muitas noites mal dormidas, muuuuuuiiiiiiiiitasssssssssss, no cadastro
  • 3 meses de cólicas ou choro de fim de dia ou lá o que os pedis chamam ao que acontece com alguns putos nos primeiros meses - tudo porque eu "não tive as dores, então passaram para o menino", whatever that means
  • Não é uma criança gorda, até é para o miudito, o que para algumas pessoas parece querer dizer que o meu filho é subnutrido, ou que são os gordooos dos pais que lhe comem o Cerelac
  • Já não tanto no mundo das comparações como no das opiniões geralmente não solicitadas, o miúdo ainda continua a mamar, o que para algumas pessoas explica que ele não seja uma criança de grande peso; para outras, quer dizer que o meu filho é um dependente que tão cedo não vai largar a saia da mãe; também já ouvi (esta muitas vezes) que, como a partir de x altura o leite materno já não traz nada de bom, já lhe devia ter sido retirado o vício da mama; e, saving the best for last, que eu sou uma hippie que vive sem qualquer qualidade de vida por ainda amamentar o meu filho - esta, a mais recente e que me arrancou o maior exercício de auto-controlo dos últimos tempos.
E podia continuar - mas não me apetece. Odeio. Principalmente porque nunca julguei os ritmos de qualquer criança alheia, nunca fui das pessoas que perguntam tudo e mais alguma coisa, e nunca critiquei as opções de vida e os métodos de parentalidade de ninguém baseado apenas na (falta de) identidade com os meus.

5 comentários:

Soinita disse...

Como eu já disse no post da Me, acho que é inevitável. As pessoas não conseguem controlar e passam a vida a mandar bitaites sem ninguém lhes pedir.
Valha-nos a paciência! :)

Red Nude disse...

ó hippie espero que faças a depilação!! ahahahahaha ;P

Queen of Hearts disse...

Red Nude, nem isso! Ahahaha... ando para aqui feita macaquinha!

Pipita de Chocolate disse...

Adorei o último ponto, sobre mamar! Hilarious!!! :)

A minha mãe disse-me há pouco tempo que eu só comecei a falar aos 2 anos...Ahahah e então?! Agora não me calo!

Vive as fase do M com calma e descontração, ele vai fazer o mesmo que os outros!

Não tenho filhos por isso falar é fácil. Mas como cada um tem as suas aptidões mais desenvolvidas para determinadas áreas, também os miúdos têm ritmos diferentes.

Beijocas

Rita CutxieCutxie disse...

O povo gosta de mandar as suas opiniões, principalmente quando é com os outros...
Custa, custa muito ouvir e calar, mas realmente o ignorar é que melhor se faz, porque isso deixa-os fuuuuulos!